Avançar para o conteúdo principal

Afastem os electrodomésticos

Oito horas na Loja do Cidadão não haviam sido suficientes. Oito horas para fazer um miserável cartão de cidadão. O sistema lento, qual ritmo subsahariano, aparentemente com falhas informáticas, tentava os instintos agressivos de qualquer sanidade mental. Um número antes do meu, o sistema morreu de vez. Um dia inteiro perdido, de uma inexistência absolutamente inútil, sem qualquer consequência e os nervos em franja. Informações pertinentes, em tempo real, não existem em espaços de atendimento ao publico. Ninguém sabe nada (é um falha nacional restrita a Lisboa, faz sentido ir a outro sítio?), ninguém avisa, nada. Só estamos ali para esperar, refilar, mas baixinho para não incomodar ou voltar no dia seguinte. 

Depois de um dia inteiro de loucura informática para começar o fim de semana, desde ontem o email deixou de funcionar. Porque as credenciais de autenticação não são reconhecidas. Segundo a Zon, a minha conta não existe (oi?) apesar de receber emails. Como sou Apple coherent, ligar para a PC Clinic por causa das configurações. Mas que não, não, não tem a ver com as configurações, porque é comum ao telefone, iPad, ao mac, nem o webmail reconhece a password, é pois um problema do servidor da Zon. A primeira linha da Zon desconhece qualquer problema de servidor. E eu farta de os ouvir. Estou com otite, com dores de garganta, estou farta de stmpa, de passwords, de problemas técnicos, e continuo sem que nada funcione, sem que resolvam alguma coisa. Até amanhã as 11:07 (precioso), alguém vai ligar.

Para rematar, a minha conta da ICloud foi desactivada. Porque não sei as respostas as perguntas de segurança. 

Se virem um microondas a voar, não se surpreendam. Fui eu que o liguei. Quando queria apagar a luz. 

Comentários

Unknown disse…
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Pedro Almeida disse…
Isso é mesmo coisa do servidor da ZON, o meu email esteve intermitente, ora não reconhecia a password, ora já voltava outra vez. Mas já normalizou.
Quando é assim, o melhor é não mexer em nada e esperar que volte à normalidade.

A minha solidariedade :-)
Mónica disse…
Obrigada Pedro Almeida. Estou numa fase em que sinceramente qq manifestação de solidariedade é deveras apreciada.
Pedro Almeida disse…
Mas já está resolvido o problema?

Pronto, pegue lá um beijo de conforto para juntar à solidariedade.
ana disse…
"não HAVIA" e não "não HAVIAM"

Mensagens populares deste blogue

Do acosso

Este calor que se abateu com uma força agressiva consome qualquer resistência.  O suor clandestino esbate vergonha e combate qual sabre as dúvidas.  A noite feita à medida de libertinos cancela as vozes interiores que alertam para mais uma queda dolorosa. A brisa quente atordoa, embriaga no contacto com a pele. O tempo pára, as palavras suspendem entre olhares que sustentam no ar tórrido toda a narrativa; qual pornografia sem mácula, mas plena de pecado. A lua cheia transborda e dá luz à ausência de sanidade que percorre no corpo. Tudo parece possível, uma corrente de liberdade atravessa-nos com o sabor do quente esmagado. E, mesmo assim, pulsa algo mais intenso. Mais derradeiro. Mais dominador. Mais perverso que o toque dos dedos. Mais agressivo que a temperatura irrespirável. O freio da impossibilidade.  A intuição luta com o medo e na arena o medo mesmo que picado tem sempre muita força. O medo acossa-nos.

na verdade, estou lá (4)

Villa Amanda The Corridor - Blue Sea, Cabo San Lucas, Mexico via Luxuary Retreats

na verdade, estou lá (6)

Calandra Porto Rotondo, Sardinia, Italy via Luxuary Retreats