Avançar para o conteúdo principal

Como se perdem clientes

Conversava, a semana passada, com uma amiga ligada ao "glitter side of life", ao social e festas do pink, que se eu fosse cliente assídua, constante e fiel de determinadas marcas, também ficaria lixada se visse as ditas marcas fazerem eventos giros, com comes & bebes, com muito  twist, com souvenirs e tudo, mas para ... Bloggers!

Vá, para imprensa, até entendia, e com sampling para que possam testar e comentar. Agora, bloggers? Cuja fidelidade é, em 90%, igual à de uma cascavel. É chato: eu cliente, gasto dinheiro, muitas vezes poupadinho, e, no limite, recebo uma micro amostra; vs. umas tipas que todos dias fazem publicidade a produtos da mesma categoria, só muda a marca, sem critério, e à caça do free lunch, recebem todas atenções, mimos e produtos à borla?!

Pois... Ninguém me entendeu. Há razões atenuantes. Ou, simplesmente, não se percebe quem compra. E quem compra, digo eu, não são estas desocupadas.

Já tinha ultrapassado esta minha teoria, quando ao ler um blog que me recomendaram recentemente, deparo-me com a bela história de um alisamento capilar inovador oferecido à autora pelo ... MEU CABELEIREIRO!

Ora bem, naquele belíssimo espaço, do qual já fiz publicidade à borla por gostar mesmo do sitio, já enterrei uma fortuna. Em mudanças de cor, ora loura ora mais escura, em alisamentos marroquinos e de guaraná, em cortes a cada 2/3 meses, em peelings faciais, em shampoos e produtos de tratamento. Até com bijutaria. Comigo lá houve quem gastasse muito dinheiro em extensões.

Comigo levei amigas (e gajo) que cortam e cortaram melena, puseram cabelo, fazem ou fizeram nuances. Desde 2008 que por ali ficou um farto investimento.

Se fico lixada com "F"? Há pois estou! Muito fodida mesmo.

Nunca pedi desconto, nunca fiquei a dever dinheiro, sempre me trataram bem, e mesmo quando as minhas amigas debandaram chateadas pelos preços, eu fiquei. Mesmo com algumas clientes "white trash" que sempre duvidámos que pagariam. Mas assumo que me dá voltas ao estômago que um alisamento que custa entre os €120-€300 (prelos apresentados pela blogger) seja oferecido a uma pessoa, que se calhar é um excelente ser humano, mas não terá o histórico que eu tenho.

E assim se aliena um cliente. Que de grátis só ficou com cafés e águas. Major disappointment!

Comentários

Anónimo disse…
Usando as suas palavras, perdoe-me o palavriado, dor de corno é mesmo fodido!
Mónica disse…
caro anónimo, venha de lá esse palavreado, forum que é forum...

Mas acredite, e respeitando a sua opinião, que não é. Se tivesse dor de corno, afectar-me-ia ver as so called Vips irem ao espaço e ou não pagarem ou pagarem menos. Isso incomodou sempre mtas pessoas que conheço e que frequentavam aquele ou outros locais identicos. Não concordando, mas entendendo alguma logica comercial por trás da coisa, pelo menos reconhecia um facto: eram clientes, tal como eu regulares e, bem vistas as coisas, geravam negocio porque levavam amigas, arranjavam produçoes de moda, abriam portas. Quando estamos a falar de semi anonimos cujo racional é "ser blogger" a coisa pia de outra maneira.

claro, é a minha opinião. mas como o dinheiro é meu (aquele que lá gastava e aquele que vou deixar de gastar) e como o blog também ainda é meu, posso opinar à vontadinha.

Cmpts., Mónica

Mensagens populares deste blogue

Do acosso

Este calor que se abateu com uma força agressiva consome qualquer resistência.  O suor clandestino esbate vergonha e combate qual sabre as dúvidas.  A noite feita à medida de libertinos cancela as vozes interiores que alertam para mais uma queda dolorosa. A brisa quente atordoa, embriaga no contacto com a pele. O tempo pára, as palavras suspendem entre olhares que sustentam no ar tórrido toda a narrativa; qual pornografia sem mácula, mas plena de pecado. A lua cheia transborda e dá luz à ausência de sanidade que percorre no corpo. Tudo parece possível, uma corrente de liberdade atravessa-nos com o sabor do quente esmagado. E, mesmo assim, pulsa algo mais intenso. Mais derradeiro. Mais dominador. Mais perverso que o toque dos dedos. Mais agressivo que a temperatura irrespirável. O freio da impossibilidade.  A intuição luta com o medo e na arena o medo mesmo que picado tem sempre muita força. O medo acossa-nos.

na verdade, estou lá (4)

Villa Amanda The Corridor - Blue Sea, Cabo San Lucas, Mexico via Luxuary Retreats

na verdade, estou lá (6)

Calandra Porto Rotondo, Sardinia, Italy via Luxuary Retreats