Avançar para o conteúdo principal

Anfitriões sem toalha de mesa

Quando damos uma soirée gastronómica cá em casa, é sempre um stress.

O chef fica prima-donna e não dá para comunicar com ele. Fica tenso, austero e faz cara feia. Se se faz qualquer coisa, aí, vai cair o Carmo e a trindade; se não se faz nada, é porque se devia ter adivinhado que naquele lusco-fusco de 15 segundos é que era: buscar louça que falta ou a salada, que entretanto ficara pronta. E depois como não tem noção do tempo, começa tarde e perante publico com fome, começa a sentir-se pressionado. E mais tenso fica.

A mim calha-me a organização da sala, assegurar que há velas catitas pela casa e pôr a mesa. Upps, mega stress: da mesma maneira que nos falta 1 edredon decente, toalhas de mesa aqui no xiringuito são escassas e tèm sempre uma parva de uma nódoa, ou varias. Só damos por esta realidade quando faltam 5 minutos para chegarem os convidados.

É uma tensão horrível. Como se resolve?

Entrada: Folhados de espinafres, ricotta e mel; cogumelos recheados com queijo cabra. Prato principal: lombo assado com condimentos secretos, batata assada e húmus. Sobremesa: veiemos caseiro (soberbo) e gelado.

Bom mesmo, a companhia!!! Vale sempre a pena.

Mas o chef, por muito mourinho da cozinha que seja, tem de facto jeito para preparar repastos!

A falta de toalhas de mesa só atesta o quão precisamos de melhorar enquanto anfitriões.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Do acosso

Este calor que se abateu com uma força agressiva consome qualquer resistência.  O suor clandestino esbate vergonha e combate qual sabre as dúvidas.  A noite feita à medida de libertinos cancela as vozes interiores que alertam para mais uma queda dolorosa. A brisa quente atordoa, embriaga no contacto com a pele. O tempo pára, as palavras suspendem entre olhares que sustentam no ar tórrido toda a narrativa; qual pornografia sem mácula, mas plena de pecado. A lua cheia transborda e dá luz à ausência de sanidade que percorre no corpo. Tudo parece possível, uma corrente de liberdade atravessa-nos com o sabor do quente esmagado. E, mesmo assim, pulsa algo mais intenso. Mais derradeiro. Mais dominador. Mais perverso que o toque dos dedos. Mais agressivo que a temperatura irrespirável. O freio da impossibilidade.  A intuição luta com o medo e na arena o medo mesmo que picado tem sempre muita força. O medo acossa-nos.

na verdade, estou lá (4)

Villa Amanda The Corridor - Blue Sea, Cabo San Lucas, Mexico via Luxuary Retreats

na verdade, estou lá (6)

Calandra Porto Rotondo, Sardinia, Italy via Luxuary Retreats