Avançar para o conteúdo principal

Da infância






A minha primeira melhor amiga foi minha colega na primária. 

Éramos a coisa mais antagónica que existia, benzadeus. Ela era magra que nem um esparguete, usava cabelo ruivo à pajem e era mais calada que a sombra do Lucky Luke. 

Já eu... Não me calava nem que batessem (geralmente ripostava com a força dos argumentos das botas ortopédicas), era uma bola e tinha cabelo liso louro angelical, parecia que saído do cabeleireiro. 

Quase 30 anos depois reencontrá-mo-nos, através de um amigo comum. E, bom, eu diria que nem mudámos assim muito. Eu reconheceria-a na rua. Mas mudámos.

Aos 35 anos, está uma mulher linda, alta, magra. Podre de boa, basicamente. Sem esforço. Só assim, como quem come, dorme e respira. E tem um cabelo, já não à pajem, graças a Santa Prada, mas fabuloso. Está muito mais sociável. Arriscaria a dizer, mais do que eu. Dotada de uma inteligência mordaz e um sentido de humor acutilante, só não corre mais porque não lhe apetece. E isso é uma grande paz de espírito. 

Porém, se eu sou gaja para não ter, nem de perto nem de longe, os 5 alqueires bem medidos, a bela ruiva também tem as suas pancadas. É-se ser só abençoada pela Natureza, querem ver? É difícil fazer o "click", furar a carapaça, a vida não é perfeita só porque uma mulher o é, à vista desarmada.

Mesmo assim, foi bom tê-la voltado a encontrar. Lembro-me de tantos pormenores da nossa infância. Da minha infância. Que surgiram assim que a vi. Ela também se lembra. E eu era uma criança horribilis. Pudera que agora ela não me dê atenção. Devem ser traumas das suas memórias.

Parabéns, Bicho. E, vá, eu entendo. Tem dias.

Comentários

Magnolia disse…
Obrigada maluca. (Sim, tu continuas maluca) Desta não estava nada à espera, definitivamente o meu aniversário traz-me sempre surpresas... Das boas. Beijo
S.L.B. disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
S. disse…
Eh lá, querem ver que a Magnólia voltou...?! :-)
Magnolia disse…
Nãããããão... Guardem os foguetes.
;-)
Mónica disse…
Ainda bem q gostaste.
Odeio foguetes, credo! Guardo o champanhe!
Voltas qd quiseres
Lol

Mensagens populares deste blogue

Do acosso

Este calor que se abateu com uma força agressiva consome qualquer resistência.  O suor clandestino esbate vergonha e combate qual sabre as dúvidas.  A noite feita à medida de libertinos cancela as vozes interiores que alertam para mais uma queda dolorosa. A brisa quente atordoa, embriaga no contacto com a pele. O tempo pára, as palavras suspendem entre olhares que sustentam no ar tórrido toda a narrativa; qual pornografia sem mácula, mas plena de pecado. A lua cheia transborda e dá luz à ausência de sanidade que percorre no corpo. Tudo parece possível, uma corrente de liberdade atravessa-nos com o sabor do quente esmagado. E, mesmo assim, pulsa algo mais intenso. Mais derradeiro. Mais dominador. Mais perverso que o toque dos dedos. Mais agressivo que a temperatura irrespirável. O freio da impossibilidade.  A intuição luta com o medo e na arena o medo mesmo que picado tem sempre muita força. O medo acossa-nos.

na verdade, estou lá (4)

Villa Amanda The Corridor - Blue Sea, Cabo San Lucas, Mexico via Luxuary Retreats

na verdade, estou lá (6)

Calandra Porto Rotondo, Sardinia, Italy via Luxuary Retreats