Avançar para o conteúdo principal

Casa dos Segredos

Há muita indignação na blogosfera, com validade até, em grande parte dos casos, entre bloggers e fiéis seguidores, acerca de pessoas que, manifestando opiniões contrárias às expostas, ou desagrado generalizado pela natureza do blog, voltam para ler todos os dias! A teoria dominante é: não gosta, não concorda, não se revê, não venha cá chatear os autores e os acólitos.

É razoável.

O mesmo se pode aplicar, então, a programas tipo Casa dos Segredos. Quem não gosta, discorda do nível social, intelectual e até humano daquelas pessoas, não vê. Tão simples!!!!

Então porque será que pilares de um Portugal moderno, entre eles bloggers com estatuto de não criticável (e em total contra senso com o que advogam para si) alardeiam que assistem a tal trash tv apenas para criticar? Assistem, divulgam, dizem mal na pura convicção  de que são melhores. Pois, não são, quanto mais não seja porque pelo menos as participantes sabem dançar no varão que é uma coisa muitooooo difícil e há que dar o devido valor.

Eu não vejo, não faço intenção de ver ou discutir, não sei quem são os concorrentes, não me interessa quem sejam, é-me indiferente as suas vidas e as suas prestações televisivas. Felizmente, posso escolher, nem que seja estar a ouvir música ou a ler, com a TV desligada. Se  já é triste que exista uma massiva audiência que se revê claramente nestes programas, pior mesmo é este portugalzinho de Drs e Engs. de 2ª categoria, tão cultos, tão letrados, mas tão poucachinho e incoerentes.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Do acosso

Este calor que se abateu com uma força agressiva consome qualquer resistência.  O suor clandestino esbate vergonha e combate qual sabre as dúvidas.  A noite feita à medida de libertinos cancela as vozes interiores que alertam para mais uma queda dolorosa. A brisa quente atordoa, embriaga no contacto com a pele. O tempo pára, as palavras suspendem entre olhares que sustentam no ar tórrido toda a narrativa; qual pornografia sem mácula, mas plena de pecado. A lua cheia transborda e dá luz à ausência de sanidade que percorre no corpo. Tudo parece possível, uma corrente de liberdade atravessa-nos com o sabor do quente esmagado. E, mesmo assim, pulsa algo mais intenso. Mais derradeiro. Mais dominador. Mais perverso que o toque dos dedos. Mais agressivo que a temperatura irrespirável. O freio da impossibilidade.  A intuição luta com o medo e na arena o medo mesmo que picado tem sempre muita força. O medo acossa-nos.

na verdade, estou lá (4)

Villa Amanda The Corridor - Blue Sea, Cabo San Lucas, Mexico via Luxuary Retreats

na verdade, estou lá (6)

Calandra Porto Rotondo, Sardinia, Italy via Luxuary Retreats