Avançar para o conteúdo principal

Não deixa de ser irónico



No Benfica, o Nuno Gomes que vestia verdadeiramente o Manto Sagrado, foi "empurrado" pra' fora sem glória, depois de anos de dedicação e de humilhação à boca dos adeptos. Mea culpa, também muito o amaldiçoei porque não marcava golos e andava pra' ali aparentemente perdido. A verdade é que ele fazia falta onde andava disperso e sofreu com a incapacidade de treinadores de jeito que o soubessem "ler" (credo, pareço um escriba da bola) e lhe dessem espaço de manobra para ele fazer o que fazia de melhor: assistências e organização de jogo. E, já agora, bons marcadores / pontas de lança que lhe terminassem a empreitada.

Quando finalmente tinhamos equipa e um treinador lutador, puseram-no no banco, à espera, á espera. Sempre que entrava, marcava. Mantorras, em bom, portanto.

Mesmo assim, não escapou a um tratamento enxovalhante. E olhem que sou perita nestas coisas de ser mal tratada pelas entidades patronais. Já cá cantam 2 medalhas de alvo da real filha da putice.

No extremo oposto (em tudo o que seja concepção de clube, do jogo, de futebol no geral, de comportamento, de atitude, de arrogância, de vida), no FCP o treinador revelação, a maravilha que superava a Coca Cola no deserto, um aristocrata (eximio na mais vulgar "arte" da cuspidela e coça tintins) que amava o clube, um adepto oriundo da claque que ensinou Robson a potenciar Domingos, aceita, de bom grado, abandonar o clube em troca das milionárias condições que o puseram a salivar.

Se fosse eu, iria? Londres fala mais alto, poder viver em Kensigton ou Belgravia, idem. Mas se isso fosse uma hipótese, dado o sucesso instantaneo que o Andrézinho colheu, não me teria deixado enredar nas juras de amor ao clube e àquela personagem que o dirige. Não daria esperanças aos adeptos. No final, o amor aos andrades era uma treta.

Não deixa de ser irónico que no seio dos andrades haja consternação e quasi quasi violência e no lado "bom"(bonito e perfumado da 2ª Circular) ninguém conteste comme il faut a saida do Capitão.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Do acosso

Este calor que se abateu com uma força agressiva consome qualquer resistência.  O suor clandestino esbate vergonha e combate qual sabre as dúvidas.  A noite feita à medida de libertinos cancela as vozes interiores que alertam para mais uma queda dolorosa. A brisa quente atordoa, embriaga no contacto com a pele. O tempo pára, as palavras suspendem entre olhares que sustentam no ar tórrido toda a narrativa; qual pornografia sem mácula, mas plena de pecado. A lua cheia transborda e dá luz à ausência de sanidade que percorre no corpo. Tudo parece possível, uma corrente de liberdade atravessa-nos com o sabor do quente esmagado. E, mesmo assim, pulsa algo mais intenso. Mais derradeiro. Mais dominador. Mais perverso que o toque dos dedos. Mais agressivo que a temperatura irrespirável. O freio da impossibilidade.  A intuição luta com o medo e na arena o medo mesmo que picado tem sempre muita força. O medo acossa-nos.

na verdade, estou lá (4)

Villa Amanda The Corridor - Blue Sea, Cabo San Lucas, Mexico via Luxuary Retreats

na verdade, estou lá (6)

Calandra Porto Rotondo, Sardinia, Italy via Luxuary Retreats