sábado, 21 de setembro de 2013

34º de loucura


Versão castanho chocolate
Para celebrar o outono que há-de chegar. 
Eu sou uma mulheres das estepes, é uma verdade. Uma fria com feitio soviético. 
Obrigada, Zara, é linda........

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Breves

1. O senhor do sítio onde vou agora mimar a melena deve achar que sou a pessoa mais antipática à face da terra. E não sou. Mas entro quase muda e saio muito perto do calada. Educada, cumprimento todos, explico o que quero e depois hiberno, não faço contacto visual com ninguém e entrego-me à revista, ao livro ou ao IPad, consoante o tempo que vai demorar a coisa. Não é por mal mas por um lado, gosto mesmo de ir mimar a melena, relaxa-me (coisa rara) e adoro aquela paz, só para mim sem ter que interagir; por outro lado, já bem basta o ruído dos secadores, das conversas paralelas, pior... Das pessoas que fazem conversa de circunstância chataaaaaaaaaaaaaaaaa, obrigando à cortesia do cabeleireiro, só para se ouvirem, ou então que contam coisas da vida privada sem pudor. E eu só quero ficar mais loura, ou com o cabelo mais liso. That's it. Mas fico com algum remorso, admito, porém a fraca vontade de interação é mais forte. 

2. O anúncio da Stapples... A qualquer momento dá-me a travadinha e ouço, por casualidade, "mochila" e "princesas" na mesma frase e aplico um rotativo. Ca' nervos

3. Por fim, Luís Filipe Menezes ganhando no Porto e é a prova de que não podemos ter muita estima nem apreço pela malta. Queixam-se acto continuo dos políticos, generalizando que são uns vigaros, e depois é nos declaradamente vigaristas, corruptos, sem qualquer veia honesta que votam. Está certo!
Roma a arder é o que vos digo!  

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Assim é!


O desinteressado é mesmo "I don't give a shit". O obcecado é não parar até conseguir/completar/terminar...

Não, a normalidade não me assiste. 


segunda-feira, 16 de setembro de 2013

E é isto!

Não me sai da cabeça o título de um livro que vi na Bertrand: "A mulher que decidiu passar um ano na cama". (E não tem nada a ver com montar um bordel) 



sábado, 14 de setembro de 2013

Monica's Day Off...


Por fim, um filme de jeito. Bolas! 



Vogue UK
Harpers's Bazaar UK - Scarlett, FAB
Elle UK 

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Coffee, I ❤you

Calma? 
Piqueniques? 
Pássaros? 

Deve ser mesmo isso! Tudo a ver...... Coisas simples da vida? Dormir. 



segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Então, é assim*

*expressão que quando usada de forma repetitiva, como muleta, se revela em algo deveras irritante. 


Baixou em mim algum mau feitio e então vamos acelerar lá isto. 

Não entendo a ideia de ir de férias para sítios em guerra. Não concebo onde fica aquela coisa do encaixe moral de estar apanhar sol num sítio paradisíaco enquanto a quilómetros de distancia há mortes, ataques bárbaros a civis e um pais enfiado na sua chacina pessoal. Como é que nós nos sentiríamos se estivéssemos em guerra civil de Setúbal para norte, com mortes em catadupa, e no Algarve estivesse tudo na bolha, cheio de turistas a banhos? 

Quando é que deixamos de nos importar? Quando é que ficámos tão insensíveis e desinteressados e só nos preocuparmos se é seguro e se é uma chatice ter hora de recolher nocturna? Que pessoas são estas que nem sequer concebem perder o dinheiro que já tinham pago porque não fazem puta ideia do que se está a passar no Egipto? 

Num cenário diferente mas igualmente questionável como se vai passar ferias para o Dubai? Ok, é tudo muito catita, luxuoso, um mimo de artificialidade e agradabilidade, de extravagancia mas em que nada é o que parece. Um sítio em que debaixo de uma aparente civilidade, as mulheres podem ser violadas e mesmo assim punidas violentamente como adulteras. E, portanto, nós ocidentais, atiramos estes pequenos pormenores de somenos importância para debaixo do tapete imaginário que abafa a nossa falta de nossa consciência em prol de umas ferias giras para fazer inveja aos amigos e colegas de trabalho. 

Já nem falo da Índia, esse delírio do Nirvana do turismo, independentemente de todas as dualidades culturais que se colocam que não são sequer choques, são realidades diametralmente contrarias ao sistema de valores que supostamente nos rege. 

Uma coisa são diferenças culturais, ou os carteiristas em Praga, o desconforto que os franceses nos fazem sentir (vá, neguem!), ou o descontexto da barreira linguística no Japão, ou a agressividade/animosidade dos policias nos EUA quando mandam parar um carro. Outra coisa é não ter uma ideia formada, uma opinião sustentável sobre o mundo em que se vive e seguir a carneirada. 

Na verdade, estou lá #82

Lefay Resort & SPA 
Lago di Garda, Via Angelo Feltrinelli, 
Italia