Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Abril, 2018

Dos caminhantes em viagem

Sou céptica. Descrente. Quase cínica. Não vislumbro finais felizes. Não acredito num local que me faça aninhar, me dê suporte, me afague, escute, entenda as discrepâncias dos meus vários tons, das minhas mudanças de espirito qual meteorologia dos Açores. Ainda que receptiva a novos mundos, dificilmente a falta de fé é recomposta depois de tanta erosão emocional. 
E, no entanto, há momentos que nos fazem pensar. Murros no estomago. De pensar, entramos em espiral quase obsessiva em torno de algo que pode ser irrelevante. Porque nos tocou, nos fez acordar da letargia, porque põe tudo em perspectiva mesmo no mais frio dos ecossistemas. 
Pessoas com lucidez, com coragem, com capacidade para amar uma mulher, querê-la, lutar por ela e pela oportunidade de a valorizar , de a elevar, de a envolver num longo abraço que a fortalece, protege, a motive a ir mais além com uma mão que a ampara e a celebra. Parece impossível, certo? Irreal? Inconcebível?  Sei que não acredito. Que apenas me resta esper…

Das hipóteses únicas

Não consigo voltar a ela. As portas fecharam-se no momento em que nos seus olhos baixou uma nuvem de decepção e mágoa e raiva. Não posso voltar a ela, a uma trovoada de dia de verão, forte, com chuva incessante. Raios pelos céus que quebram o calor que se cola à pele, que destabilizam a placidez e levam tudo à frente numa enxurrada de libertação. 
Ela não permite segundas hipóteses- Conquista-se a primeira a pulso, com persistência, resistindo às rasteiras e sobrevivendo aos golpes, até ela permitir desmantelar as estratégias de defesa numa brecha de confiança. Irrompe, então, uma entrega intensa, uma dádiva de desejo e cumplicidade, de proximidade e conforto. Como um dia nos Açores, ora pleno de sol, ora onde se abate a tempestade, ora no mais pacifico silencio verde, ora na batalha das ondas atlânticas.
Quando puxei o tapete, ela não caiu. Não perdeu o equilíbrio e, apesar do suave balouçar, manteve-se firme, olhar gélido, transmutado. Prova de alguém que já abanou tantas vezes sob o …