quinta-feira, 31 de março de 2011

Temos que AMAR esta revista

Há meses que partilho a minha paixão pela Vanity Fair.

Os senhores lá nos States, cientes do meu mau karma revertido (quanto mais boa pessoa sou, mais merdas me fazem), deram-me este presente. Nunca o vou esquecer. Eu merecia um "miminho" assim...

Contemplái o que em breve estará na minha caixa de correio...

Estou em ... num estado que não consigo descrever ... não há palavras!!!

Bendito sejas tu, Rob Lowe!!!! Amén, Vanity Fair




Machado Joalheiros

Olha a Newsletter nº6, fresquinha, fresquinha...



http://www.machadojoalheiro.eu/

Goes without saying

Hoje, no autocarro, conversa de dois "doutos" senhores na casa dos 60 e muitos...

"Pelo menos no tempo de Salazar, havia África pra' ir sacar dinheiro".

Aí está, belo exemplo da cultura política do país!

E eu a pagar o apoio geriátrico destes senhores! 

quarta-feira, 30 de março de 2011

Aprovado

Sou branca como a cal. Translúcida. 
Uma miséria. 


Logo, uso há anos, pó bronze diariamente, depois da base.
Sou pró e já usei várias marcas 


O Terracota 4 Sombres, da Guerlain, está aprovadissimo. 





Post "Isto agora é que vai ser!"

Numa estreia mundial ... um post virado à direita
___________________________________________________

Ora, e para quando m cartel bom, mas bom, para uma tourada de jeito?

É que apesar dos preços continuarem caros, os cartéis são os filhos de, os sobrinhos de, os bastardos de...

E eu não alinho em coisas de gajas. Tourada é como o fado de Coimbra. Ou a cerveja. Com uma mulher não cai bem.

(muito conservador? Um dia hei-de debater fardas nas escolas publicas e os quadros de mérito!).

terça-feira, 29 de março de 2011

capa do Correio da Manha

700 famílias vão ficar sem casa, tiradas pelo banco


Por muito que até possam existir casos de claramente mais olhos que barriga e vive acima das posses, fuck! são 700 famílias


Como se dorme a seguir depois de ouvir isto?

segunda-feira, 28 de março de 2011

Encharcada até ao couro cabeludo

O equivalente a lixada até à raiz do cabelo.

Não há pachorra para esta chuva que insiste em chatear, com o frio que entretanto apareceu, com o trânsito idiota (poupar, usar transportes públicos, não?), tudo a apitar numa confusão horrível.

Cheguei a casa encharcadinha. Nunca digam mal dos sapatos da Massimo Dutti: os maravilhosos botins de camurça apesar de neste momento NÃO serem camel, protegeram-me os pés da intempérie. Secos! Mas a falta de chapéu de chuva foi o desastre.

A coisa já vai mal, mas pessoas que andam a 5km à hora, com o chapéu a reduzir-lhes a visibilidade e ainda vão a escrever SMS... Que pessoas são estas? Onde raio lhes enfiaram o bom senso? E ficam admiradas de se lhes chamar "cabras" depois de irem contra outros transeuntes. Menos, chéries, menos.

Chego a casa e a TV comunica-me que o André Sardet tem novo CD. Claro, tudo o que o mundo precisava agora era isso mesmo.

Irra, vou tomar mas é um Benuron que já me dói o corpo.

Bem-vindo aos 35 anos, Melhor Amigo - Parte II







Quando conheci o Bêzinho, ele mal abria a boca. Não é que fosse criança, mas era a pessoa mais tímida que já alguma vez conhecera.

Se um professor lhe dirigisse a palavra, ele corava (e muito) antes de conseguir responder o quer que fosse. Estava sempre muito sério nas aulas, muito caladinho, aparecia com o seu kispo verde e mochila às costas e nós muitas nem dávamos por ele ter chegado.

Para seu azar, ficou sentado na ultima fila ao lado do S., na carteira ao lado da minha (que partilhava com a Anabela) e isso mudou-lhe a vida. Nós demos cabo dele, mas para melhor. Nós éramos (somos) desequilibrados (perdoa-me Anabela!) e arrastámos o miúdo para a rambóia alucinada.

O Bêzinho tinha os olhos mais doces da escola. São grandes, intensos mas muito carinhosos. Como ele. Um coração grande, uma capacidade intensa de dar e um carinho tremendo pelos seus amigos.

Durante anos, após o liceu, fomos os grandes companheiros de fim de semana. Compras, cinemas, lanches, saídas à noite. Míticas as nossas idas à disco. Uma vez até perdi um sapato que voou do pé a uma velocidade estonteante. Vezes sem conta, ao chegar a casa, saía do carro dele descalça pelas dores nos pés de horas e horas a dançar. Uma festa pós Globos de Ouro, nos tempos áureos da Kapital, ambos de traje de gala, e uma grande bebedeira. Rimo-nos tanto nessa noite, véspera de dia de trabalho. E as gargalhadas que demos durante o Titanic, o pior filme que tínhamos visto até então!!!

Ele terá sido a pessoa que mais me viu chorar. Amores não correspondidos, maus tratos laborais, abandono familiar, ou somente ser eu. E ele sempre presente, a dar-me força, ao seu jeito, que é o de limpar as lágrimas e respeitar um silêncio confortável. 

Quando o S. me deu uma cabeçada e eu sangrava na sala de aula, e sendo no entanto a pessoa mais calma, apenas pedi água. O Bêzinho ofereceu-se para ir comprar. E foi a correr. Quando voltou o cenário à minha volta era de catástrofe e no meio do stress, ele enervou-se de tal maneira que me bebeu a água toda. Uma vez, numa viagem a Coimbra, pedi que ele me guardasse um pedacinho da sandes que ele tinha ido comprar. E ele não deixou, porque esquece-se de tudo. Fiz-lhe uma fita. Na paragem seguinte comprou-me duas sandes e um sumo.

Só posso sentir amor por uma pessoa assim, certo? 

Ele entende como brilham os meus olhos quando passo na Louis Vuitton, sabe o representa a Chanel ou a Prada. Entende porque gosto de Milão. Partilha os brunchs e todas as outras maluquices que me saem da cabeça. 



Parabéns, meu querido Bê. Não só pelo 35º aniversário mas pela pessoa fabulosa que és. Pelo EXCELENTE amigo que te tornaste. Pelo exemplo de força e de amor à vida que nos dás no dia a dia. Pela coragem, alegria e capacidade de viver de sorriso aberto, disposto a fruir de tudo o que mereces. E mereces tudo.

És das melhores pessoas que existem. Tenho muito orgulho em ti, em que sejas meu amigo e no que conseguiste. És um ser feliz e isso faz toda a diferença.

Love You!!!! So much ...











Apesar do que escrevi no Post anterior...







Gostava de deixar explicito que GOSTAVA MUITO de ter um Ipad 2 branco 

Idealmente, um  iPad com Wi-Fi + 3G mas como são muito caros, pode ser apenas com Wi-Fi. 
Idealmente, 32G mas já ficava happy happy com um de 16G. Sou uma pessoa de gostos simples e adapto-me.

Mas branco. Com uma SmartCover ou azul bébé ou cinza (já está incluída e é um acessório brilhante! hiper mega útil)


Pronto, gostava... que posso fazer?

domingo, 27 de março de 2011

Crise Politica - onde pedir asilo?

Para já, a minha opção inicial são os Açores.

Receio que, visto de fora, o país já não seja alvo de uma intervenção do FMI. Creio que vão chegar, de um dia para o outro, Blackhawks alucinados, tropas com vestimentas altamente cromas, cheias de virilidade, e seremos alvo de uma intervenção do Alto Comissariado para Países Alucinados. 

Portugal seria leiloado (quer me parecer que seríamos comprados por Angola, 'tamos juntos né?), as prisões transferidas para a Madeira e o resto da população atirado para um campo de refugiados lá para lados da Galiza (eu peço desde já um livre transito para ir para os Açores... acho que me adapto à melancolia de ilhéu perdido no Atlântico).

Não, eu não estou doente... O país é que é demente! Doido varrido. Ninguém escapa. Está tudo passado dos cornos.

Ora nós estamos, caso se tenham esquecido, com um Governo demissionário, no meio de uma muita batida crise política sustentada pelo afundanço económico-financeiro, com dividas assim pró consideráveis a pagar às entidades externas, ainda este semestre. 

Apesar disso, o Presidente da Republica  decide tirar o fim de semana e em vez de acelerar as medidas a tomar (ex: falar com o Jaime Gama), adia para 2ª feira, como se fosse um mero assalariado que cumpre horário e está-se a borrifar. Amanha, retoma-se a intervenção presidencial, necessariamente à pressa porque chega Carlos e Camilla a este Ninho de Cucos. 

A oposição está já a escolher o mobiliário para quando forem governo e nos intervalos de dividir os futuros "jobs" , só fazem merda. Acham que o PEC IV foi vetado? Pois, pois, esperem pelo Plano Massamá e vão ver como as coisas vão doer. 

Mas como se nada disto passasse, como se não fosse grave, desde sexta feira que Portugal oscila entre a gargalhada com o desastre do Futre, que disparou que nem bala nas redes sociais, com a incredibilidade perante o que aconteceu para lados de Alvalade. As televisões transformaram as eleições de um clube desportivo (que nem sequer é o principal clube do país) numa noticia tão grande como a visita do papa, no mínimo. Todo o sábado a alimentar-se de uma coisa banalíssima que não merecia o destaque que teve.

Por fim, Alvalade esteve à altura do protagonismo que lhe foi dado. Pareciam eleições num pais africano. Que houve bandalheira, não há duvidas. Que houve manipulação nos votos, parece-me que sim. Seguiu-se o motim dos excelsos nobres sportinguistas. Pra' porrada, já somos iguais, mas eles é que são elitistas. 

Quem observar o que se passou, ao fim de horas e horas de contagem de votos (coisa mais arcaica), pensa: "porra, estes gajos são uns índios, nem na treta de um clube conseguem organizar-se. Mandemos os Tomahawks."

Se isto não bastasse, na passada 6ª feira os consumidores frenéticos tomaram de assalto Fnacs (no Dolce Vita, em 15m.), Wortens e Apple Stores para comprar Ipad2. No Chiado a fila, ao fim do dia, chegava á rua. Para quem não sabe, o mais baratinho dos Ipads 2 custa €479. Eu sei que é mais fino, mais leve, mais rápido, tem 2 câmeras, eu sei que é apetecível, eu percebo que há quem poupe para comprar; mas não entendo a afluência em massa, em histeria, nesta altura. 

Nós - Portugal - estamos a bater mal. 

Esta porra mata-me


Lembram-se do delirio que eu tenho com este perfume?

Pois, reitero!

E já angariei mais um fã!

Viva a Chanel. Viva o meu Moço! Viva eu que lhe ofereci o perfume

Promoções na Fnac

Vai uma pessoa à Fnac fazer companhia a um amigo e é surpreendida com o facto de parte dos livros de Ken Follett terem até 40% de desconto. Daniel Silva, idem. E outros (que já nem reparei).


Livros mais recentes também estão com descontos de 10%.


Ide, ide, comprai e leiam!!!


Eu vim atestada. 


sábado, 26 de março de 2011

Insisto, persisto, resisto

O que queria para a minha vida



a importância da cor do cabelo

O moço e a minha melhor amiga questionam-me, muito, sobre o porquê da opção Brownie.

De loura clara natural em criança, a louro escuro na adolescência a louro aditivado, em várias modalidades e tonalidades, em adulta, não significou que a vida me tenha corrido propriamente bem.

Eu gostava de ser loura. A minha derme é de um tom tão estupidamente claro que pareço doente. Tenho olhos azuis, mas não são muito coerentes. O tom de louro encaixa e não soa a falso.

Mas encaixarei eu no louro? 

Desde que tive que, por razões de melena, e temporariamente, optar por um tom mais escuro, comecei a perceber que talvez eu não esteja à altura do louro Anniston ou Budchen. Uma mulher ao ser loura deve ser confiante, de passo determinado, corpo esguio e com um sentido de estilo todo apurado: sabe o que usar e o que usa, cai-lhe bem. Uma loura sabe caminhar de cabelito livre, cheio de alegria e orgulho.

Ora, pois, temos que me vou ficar pelo discreto tom achocolatado, que passe despercebido, por uns tempos. É o mais próximo do manto de invisibilidade do Harry Potter que consigo.

Objecto Desejo 9345

Não gosto de gostar de coisas by Kate Moss, mas é mais forte que eu!!!

Gosto muito. À brava. Bastante. Muito. É o máximo. Gira que dói (a carteira). Catita que só ela. 

Ficava-me bem, certamente.


Faraway Exotic Basket Bag Multicolour, Longchamp by Kate Moss

arte & amigos com jeito pró' negócio

Já ouviram falar do Clube Fashion, um site catita de venda de produtos porreiros, online?

Eu que sou uma gaja importante, conheço o mentor. É verdade, eu sou um desastre mas os meus amigos são pessoas bem sucedidas. 

Pois bem, este GRANDE empreendedor (que só por acaso nasceu no mesmo dia que eu mas noutro ano, o que faz toda a diferença) lançou há uns dias / semanas um um novo website e conceito de negócio - www.artchezmoi.com ...

Segundo o brilhante amiguinho, o objectivo deste site é o de criar um mercado global para arte, algo que até à data não existe a nível mundial e na internet. 

Basicamente, e segundo ele, existem "art experts" em diferentes países que identificam e angariam os melhores talentos locais (novos e estabelecidos) para que vendam os seus quadros no ArtChezMoi.com a uma base internacional de coleccionadores de arte ou, pura e simplesmente, a alguém que necessite "decorar" a sua casa com um quadro, fotografia, etc que possa de futuro valorizar. 

Os preços variam entre os 500€ (para fotografia e talentos emergentes) e 50,000€ (para os mais estabelecidos).

É um projecto ambicioso e global feito a partir de Portugal, coisa que, como sabem, não é fácil. Aliás, PALMINHAS para ele por isso.

Aconselho-vos s que visitem o site e o ajudem a divulgar o conceito entre os vossos amigos, conhecidos.

No caso de quererem aconselhamento sobre quadros e artistas para saber quais têm mais potencial podem também escrever para artchezmoi@artchezmoi.com.


 PS - Como somos pessoas honestas, aviso que o site ainda alguns bugs que são tipicos agora no inicio e em que estão a trabalhar para corrigir!

sexta-feira, 25 de março de 2011

Dado que a crise política vai de fim de semana ...

KEEP CALM & CARRY ON SHOPPING 
(antes que o Ken aumente o IVA)

Uterque: anéis


 Mango: Vestidos & Acessórios



Pessoas de bom gosto têm uma (lol)

Giros mas giros



Giros mas Giros...

Zara: Saias


Crise Politica - a análise que faltava (4)

Depois de ter ouvido os partidos, e face à situação política, Cavaco reunir-se-á com o Presidente da AR para debater mais um pedacinho esta historieta. 

Essa reunião será 2ª feira, daqui a menos de 72 horas.

Diga-me lá, Sr. Silva, já que lhe pago parte do salário ou da reforma, ou o raio que o parta, porque não podem reunir no sacana do FIM DE SEMANA????

A questão não o merece? Não é um tema urgente? A Maria tem que ir ao Continente às compras? Prometeu aos netos que lhes lia uma história?

Onde já se viu um país pôr o seu status politico em pause-still porque é fim de semana? Somos finos, não? Sabem que se pode trabalhar ao Sábado e ao Domingo, sobretudo quando há uma puta de uma urgência sócio-económica?

É porque as agências de rating estão fechadas e o FMI foi curtir o fim de semana?

Este PR é uma NÓDOA!!!! E anda a gozar connosco.

VOU SER TIA! Way Cool Rachel Zoe

Estou para já em histeria e VERDADEIRAMENTE feliz por todos.


Vai ser o baby mais fashionable de Lisboa, vá de Portugal. À semelhança do Pedro e da Matilde, vai ser coberto de mimos para compensar não o poder beijar e apertar diariamente, como faço (ou tento) à peste do Vasco. 


Ainda não se sabe se vai ser uns brogues ou uns stilletto, por tal para já está o feto a ser identificado com designações criativas mas muito sui generis. Neste momento, é ou Soraia ou Cristiano.


Aguardo ansiosamente pelos 3 meses para atacar a Zara Kids (esta tia não tem hipótese de ir à Papo d' Anjo, lamentavelmente!).


Assim, comunico à Rachel Zoe que apesar de ser o máximo, e muitos parabéns por ter sido mãe (depois de tanto o inutil do marido Roger a ameaçar com o divórcio, praticamente), que o Skyler Morrison Berman vai ter MEGA concorrência à perna! 






A Soraia/Cristiano vai ser way cool... 


O desgraçado do puto já nasceu com nome de herói da Guerra das Estrelas, pel'amordasanta!, enquanto a mãe twittava sobre o parto. 

Crise política - o Fait Diver (2)

A relação Portugal - agências de rating é como uma aula de alfabeto da Rua Sésamo.
Já vamos com um pé no C.

Crise política - o faitdiver

Chegado à Cimeira de Bruxelas, Sócrates enfrenta as palavras acabrunhadas dos colegas, desdramatizando a situação constrangedora de se estar desempregado (dude, I feel you).


Eis senão quando irrompe pela sala o Pequenote Bunga Bunga, com mais cabelo, e qual Sansão se dirige determinado a Sócrates para lhe dar apoio. Ainda consegue, em bicos de pés, um abraço e um beijo na face mas o PM demissionário foi expedito a afastar-se.


"Porra, prefiro a Merkel! Livra. Já não bastava o Ken dos impostos, o Silva e os maus fígados, o Jel e a ausência de banho, ainda vem este gajo armado em Valentino. Quando é que posso ir fazer jogging?"

quinta-feira, 24 de março de 2011

Crise Política - a analise que faltava (3)

Toda a minha vida trabalhei na identificação de pessoas que fossem qualificadas para desempenhar cargos de responsabilidade em empresas.

Parece fácil, certo? Lê-se o cv, conversa-se com umas pessoas com base num guião e deixa-se a experiência fazer o resto. Uma treta. As pessoas mentem, outras bloqueiam, outras exageram e vendem-se como se fossem o ultimo par de Louboutins a sair da oficina.

Às vezes, está-se cansado e não há paciência para as coisas que nos dizem. Mas temos que ser profissionais, ultrapassar as resistências e seleccionar os que técnica, pessoal e culturalmente encaixarão na função, entendem a sua missão no todo e se esforçarão por atingir os melhores resultados. Uma empresa só sobrevive com os melhores. Independentemente do cargo ou tarefa, têm que dar o melhor. É um conceito soviético mas é assim mesmo.

Quando passo no Parlamento, tenho a certeza que se fizesse o meu trabalho, 2/3 daquelas pessoas não teriam sido contratadas. Mas talvez com 11 anos de experiência profissional e uma licenciatura com forte vertente política, de facto talvez não seja uma pessoa competente para ajuizar.

Crise Política - a análise que faltava (2)

Sou uma queque, no sentido em que não gosto de manifestações. Como diria o Ricardo Araújo Pereira, "já o escrevi em sede própria", que aos 5 anos me levaram a uma manif do 1º de Maio e fiquei toda queimada da cabeça com aquilo. 

Porém, e face aos novos desenvolvimentos que agitam as águas políticas deste pantanal, que até já levaram ao corte do rating (ainda que as agencias também sejam umas aldrabonas como se sabe) acho que talvez faça sentido começar a pensar numa coisa dessas. 

Citando o António Barreto, o "jogo de rapazolas, de pessoas pouco interessadas nos problemas do país (...), mesquinhas e (...) marialvas, a brincar com um país" fez com que o xadrez político se tenha alterado (falar de xadrez sobre estas pessoas até é sacrilégio)

Assim sendo, aproxima-se a chegada de uma nova brigada de heróis pra' tomar de assalto o poder. Bom, dizer que é uma brigada nova é brincadeirinha, porque o circo vem com as mesmas atracções. Um ou outro malabarista novo mas grosso modo os suspeitos do costume. 

O que eu gostava mesmo de ver era tomates para credibilizar a coisa pública. 

Prender Dias Loureiro e seu gang de malfeitores de colarinho branco.  Pôr Armando Vara, a sua agenda maravilha, e a manada que anda à volta dele, todos com farda da cadeia. Isaltino, Avelino, Fátima, Narciso, AJJ e demais... A marchar para o reality show "the biggest thief". Caso Freeport: resolver e prender. Sobreiros e submarinos, Espirito Santos e pessoal catita do CDS todos a uma só voz: culpados! 

Temos vivido sem pouca ou nenhuma renovação política, com uma classe fraca, com honrosas excepções. Temos votado em pessoas que desconhecem o conceito de bem publico, alias, são ignorantes sobre o que é exercer um cargo político. O compadrio, o amiguismo, as jotas, as influencias, a corrupção têm sido validadas por nós, eleição atrás de eleição. 

Porque, enquanto cidadãos, não temos cultura de exigência, de excelência, de rigor, de comunidade e deixamos andar, fechamos os olhos pois, no nosso dia a dia, também gostamos da cunha, fazemos choradinho para não sermos multados enquanto conduzimos e falamos ao telefone. 

Por isso, as campanhas são uma merda. As pessoas insultam-se e não discutem o que vão fazer, porquê, como e com que objectivos. Por isso, elegemos o Silva, que manipula a seu jeito daquela forma arcaica, que tem o sentido de Estado de uma ervilha e nunca explicou nem a casa da coelha nem as acções. Pornográfico. Nem vai dar cavaco ao país do que realmente se passa e para onde se tem que ir. Ui, que maçada, fazer política e falar sem sobre Keynes. 

Se se fizesse uma manifestação a pedir mais, mais deles e de nós, eu até ia. Mas tuga que é tuga pega no megafone e culpa os outros. 

O Ken de Massamá, o lança-charme dos bloggers, vai ser eleito e tudo vai ficar na mesma. Até podemos minorar a crise com as medidas que ontem foram vetadas. Até podemos não ser expulsos da UE. Mas conseguiremos mobilizar-nos e sermos mais atentos, exigir a quem nos representa que não seja uma vergonha? Que honrem o privilégio de sentar o cu na majestosa Assembleia? 

Tenho pouca fé. Ainda bem que seja agnóstica. 

Crise Política - a analise que faltava (1)

Agora que o Sr. Aníbal anda a ter trabalho político, coisa que lhe deve dar azia, sobretudo porque o Ken de Massamá vai passar a ser o seu "amiguinho" das reuniões mensais... Pelo menos, há uma vantagem: passará a euforia com a música fraquinha dos Deolinda.

Já não há rabiosque que aguente. Irra, mais as vozes da Damaia elevadas a estrelas pop intervencionista.

Vintage Tuga

Lembro-me de ser miúda, ter uns All Stars azul escuro versão bota e, de repente, alguém me ter oferecido uns Sanjo pretos. Eram confortáveis e tudo. E naquela coisa de "I am bigger than the world", achei que podia levá-los para o liceu e escapar impune.

Burra. Inocente. Burra.

Fui gozada até já só me apetecer vir descalça para casa. Tantos anos a ganhar respeito apesar do peso a mais, dos óculos, do aparelho e das boas notas, a tornar-me protégé de todos os mini machões com personalidade Alfa dominante (tendencialmente, burrinhos! livra), quer os cool quer os bad boys, tanto trabalhinho que caiu por terra por ter decidido sair de casa com os sacanas dos Sanjo. 

Era como chegar de mota à escola montada numa Zundapp. 

Pois bem, é vintage. A marca foi recuperada da falência e do esquecimento. E agora é fashion.

Apesar do trauma escolar, e do mau nome (Sanjo é horrível), acho piada aos novos modelos. Sobretudo dos brancos. São catitas. Gosto mesmo muito.

Isto vindo da pessoa que acha que ténis são Keds de plataforma, tem horror a calçar estas coisas e ténis é apenas equivalente a férias em cidade (e mesmo assim ...).




Agora os modelos coloridos são de FUGIR. Recebi uma imagem publicitária via email e decretei luto pela ideia. Parecem os ténis da Floribela. Irra, que coisas tão ... NOT!!!!


À descoberta da Primark

Muito se fala na Primark.


Na blogosfera virou moda mostrar que é possível ir a uma loja hiper low cost e comprar modelitos com estilo ao preço de uma caixa de amendoins salgados com piri-piri (vão lá ver o preço destas coisas nos supermercados, se não caem logo para o lado!).


Estas coisas não me convencem. A H&M ainda não me entrou no sistema quanto mais a sua versão DIA. 


Reconheço que há muitas coisas engraçadas a preços altamente convidativos mas nas feiras e até nalguns bazares de chineses acontece o mesmo. Ou seja, da volta atenta à loja encontrei 3 vestidos cujo ratio qualidade-preço-giros estavam muitíssimo bem. Infelizmente, não se perfilam ao meu estilo Uber-Voluptuosa. 


Ficam 2 exemplos (sim, houve quem os trouxe!)




De resto, não consegui! Ainda que tenha ficado com um vestido 60's muito catita na mente.

A loja cheira a pneus, que é uma coisa que a) me põe maldisposta; b) me faz desconfiar de se as peças não explodirão assim que alguém acenda ou uma vela ou um cigarro. O que não seria simpático.

A grande maioria das coisas (vestuário e acessórios) tem algum bom aspecto e chama a atenção, à distância. Uma pessoa aproxima-se e ao toque a coisa já ganha outros contornos. O material deixa muito a desejar, a borracha das carteiras e das pochettes mete algum respeito e nem me aproximei dos sapatos. Andei a mastigar umas calças mas depois de pegar nelas só as imaginava a comichão que me putativamente me iriam infligir. 

Resultado final: 
Trouxe um pack de €5 com 6 calcinhas (básicas, cómodas, de uma coisa aparentemente de algodão). Mas o grande vencedor vai ser o sobrinho Pedro que vai ganhar um puzzle giro mas giro, por um preço que nem digo!

Minha rica Zara. Mesmo com os mau tratos dados às gajas que não sejam esqueléticas. 

Groupie

Tornei-me fã ensandecida do Governo Sombra. Estou viciada. Ouço programas a fio, todos os dias!!! E rio-me que nem tonta.

Não simpatizava com o João Miguel Tavares (JMT) por várias razões (uma delas, as criticas de cinema) mas até já lhe acho piada aos "erres". 

Achava o Pedro Mexia um usurpador de lugar na Cinemateca a quem o merecia (o meu amigo expert em Cinema), entediante, sem piada... pois não é que é uma surpresa?!!! Estou fascinada com o sentido de humor e o modo intelectualmente divertido como se dá à rambóia.

Depois são todos do Benfica (só os favorece)  e têm uma cultura geral, pura que os pariu!

Se os vir na rua entro em histeria (como acontece com os senhores da Benfica TV que têm o programa de 4ª feira à noite). Talvez menos com o JMT. As t-shirts amarelas deixam-me constrangida.

terça-feira, 22 de março de 2011

"Longing to belong"

I'm falling harder than i've 
ever fell before
i'm fallin faster, hoping 
i'll land in your arms
cause all my time is spent here
longing to belong 
to you

i dream of circles perfect 
eyes within your face
my heart's an open wound that 
only you replace
and though the moon is rising 
can't put your picture down
love, it's a frightning way to fall

and when the time is right, i 
hope that you'll respond
like when the wind gets tired 
and the ocean becomes calm
i may be dreaming but i'm 
longing to belong 
to you

enough is enough!

como estou doente, devo ter alguma espécie de salvo-conduto.

Ando pra' aqui a cuscar blogues e ó minha gente: BASTA!

Aguenta-se a profusão de cores, o excesso de riscas, o abuso pornográfico do amarelo e do laranja, os shorts de ganga com botins e blasers, os Wayfarer multicromáticos, anéis e mais anéis pirosos, macacões, chumaços, bom ... whatever

Agora, blogers que até têm representatividade em eventos fashion cá do burgo (tipo ... sei lá, MLX), são todos fotografados com orgulho, e que passeiam carteiras Miu Miu ou Prada com relógios Eletta ou One (HORROR!) e Pandoras??? 

Não há skinny colorida com flats Repetto que salvem este fashion faux pas 

Eletta? Com brilhantes? Isto?


Pelo amor da santa! 

Um Swatch chega e serve e tem mais classe, bolas