sexta-feira, 31 de maio de 2013

Bye Bye




(em verdade vos digo, ninguém take me as I am. #facebrutalfacts... 
fazer o quê?)



quinta-feira, 30 de maio de 2013

the best carrie bradshaw quotes


Apurado levantamento cientifico constante na Marie Claire UK online. 
Escolhi aquelas com que mais gosto!




'You and I are so over we need a new word for it.'


'The fact is, sometimes it's really hard to walk in a single woman's shoes. That's why we need really special ones now and then to make the walk a little more fun'.


'And then I realised something, twenty-something girls are just fabulous, until you see one with the man who broke your heart.'  



'I like my money where I can see it - hanging in my closet.' 





'The universe may not always play fair, but at least it's got a hell of a sense of humour.'



'I will never be the woman with the perfect hair, who can wear white and not spill on it.'



'When I first moved to New York and I was totally broke, sometimes I would buy Vogue instead of dinner. I felt it fed me more.'



'I will not be the first one to speak. And if he never calls me again, I'll always think of him fondly, as an asshole.'



'Beauty is fleeting, but a rent-controlled apartment overlooking the park is forever.'



'I've done the merry go round I've been through the revolving door I feel like I met somebody I can stand still with for a minute and... don't you wanna stand still with me?'



'I’m looking for love. Real love. Ridiculous, inconvenient, consuming, can’t-live-without-each-other love.'


'They say nothing lasts forever; dreams change, trends come and go, but friendships never go out of style.'


'It's like the riddle of the Sphinx... why are there so many great unmarried women, and no great unmarried men?'





via www.marieclaire.co.uk

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Nas minhas costas

Hoje foi dia de guerra civil.

Há semanas que o desconforto penoso que me acompanha há anos nos ombros deu lugar a uma dor permanente que se agravava de dia para dia, tendo escalado para a cervical e, nos últimos dias, para dores de cabeça incessantes e de ouvidos. 

Alguma má postura, carteiras sempre pesadas, muito tempo sentada em frente ao computador e, sobretudo, um nível de stress que rebenta a escala de qualquer teste, agravaram o quadro negro.

Vai daí fui ao osteopata, primeiro quase arrastada por um amigo, mas hoje já a contar os minutos para que no limite me colocassem alguém a andar em cima das costas e me aliviasse estas dores que me toldavam o raciocínio.

Foi um festival. Acupunctura com choques electoestimulantes (que provou que tenho grande tolerância e resistência pois aguentei carga máxima mas fiquei com as costas em brasa). Mais uma sessão de electro-estimulação com uns patches. Seguido de uma massagem que apesar de todos os esforços esbarrou no meu mecanismo de defesa. Relaxar, não entra no meu vocabulário, pois que tensão era tanta que era impossível descongestionar os músculos com as mãos. Veio uma máquina muito catita que me fazia trepidar toda e que me vai deixar em modo "tareia" por uns bons dias. A seguir ventosas quentes. Depois, esticanço do pescoço e braços. Last but not least, injecções de anti-inflamatórios e ainda estou cheia de fitas coloridas na cervical e ombros que mais parece que tenho um colete reflector: à noite, por questões de segurança, na estrada, em calhando, posso usufruir de segurança rodoviária.

E a bem das práticas de reflexologia uns autocolantes nas orelhas, os quais ainda me fizeram soltar uns "ais" nos pontos que estão ligados ao pescoço e que quando pressionados, p'losdeuses, que dorzinha! 

Quase 2 horas non-stop de porrada. Pelo meio, confesso, dormi por momentos, é verdade. E estou bastante melhor, mas também levei com o anti-inflamatório. No entanto, parece-me que amanhã vou estar dorida, ai se vou!

Diagnóstico: demasiado stress. O uso do rato está a causar danos do lado direito. E tenho uma omoplata  colada (WTF!?!?!) do lado esquerdo que não se conseguiu sequer começar  a dar um arzinho de tratamento porque estava tão tensa que nada mexia ali. Terei que tomar substâncias recreativas antes de ir à(s) próxima(s) sessão(ões)? É com que este ritmo, a sacana da omoplata está pronta para um anuncio da Super Cola 3.

Era muito mais glamoroso dizer que estive a fazer massagens XPTO drenantes, adelgaçantes ou a ultima moda do chique zen. Não, estou em luta com as minhas costas. 

domingo, 26 de maio de 2013

Das constações

A bem, a mal. 


Com mais ou menos dor, com duvidas, ausências, tremores, risos, cafés, inspiração, hesitações, dias de chuva, céus azuis de Lisboa, cansaço, desilusões, vontade de fazer, vontade desistir... 



quarta-feira, 22 de maio de 2013

Gaja à beira de ataque de nervos

Sou uma pessoa altamente opinativa. Facto.

Também opino menos porque fui mordida pela bactéria "Whatever" em muita coisa. É outro facto.

Não obstante, há "n" temas sobre os quais reservo o direito de me abster de emitir uma opinião ou comentário. Regra geral, não domino os assuntos, não tenho conhecimentos para proferir uma opinião fundamentada e, por tal, prefiro escutar e aprender sobre o que está em causa em vez de me por a debitar patacoadas sobre o que não sei. Noutros casos,  o assunto é-me indiferente e não gasto tempo que não tenho nem energia a aprofundar algo que não me interessa ou nem vou entrar em discussões metafísicas só porque sim. Há ainda aquelas situações em que o tema versa em torno de pessoas que me causam urticária e vai daí prefiro nem enveredar por essas discussões. Até porque a minha opinião seria pra' lá de assassina.

Agora, quando tenho uma opinião, tenho uma opinião. Ponto. Se sou permeável a escutar opiniões contrarias e até ajustar a minha? Bom, sim, mas o grau de abertura também vai depender do que está em causa.

No entanto, se há coisa que me irrita são pessoas que proferem uma declaração, por mais banal que seja, e não a conseguem defender durante 10 minutos que sejam. Alguém opina algo em contrario e a pessoa muda logo de ideias. "Pois, se calhar, há sempre outras informações". "Ah, eu também concordo com isso, e no fundo a minha opinião é também nesse sentido".

É mesmo muito irritante. Mais vale estar calado e nunca ter opinião sobre nada,  ainda que seja algo redutor mas enfim, do que dizer A e num passe de magia passar a dizer B. 

Pessoas, assumam o que pensam. E desde que o defendam com honestidade intelectual e de modo respeitoso para com os demais, não se preocupem que os outros pensem de modo diferente e choquem com as vossas ideias. Tenham personalidade. 

Obrigada, sim? 




terça-feira, 21 de maio de 2013

Devo ser a unica mulher

Que gosta do Mr. Big.


Pois que gosto. 

Enquanto a Carrie era uma tonta sempre à procura de validação e de "sinais", a complicar, a remoer, ser gaja portanto, o Mr. BIG imperfeito as may be era divertido, charmoso, sedutor, seguro (o possível dentro do género dos homens, claro), pragmático. 

E sempre adorou aquela tresloucada acompanhada de outras gajas ainda mais gajas e mais loucas. 

Fugiu no dia do casamento? Pois foi. Mas casaram, não casaram? Deu-lhe o closet e um diamante negro. 

Eu gosto mesmo muito do Mr. BIG. Alguma vez o panhonhas classe media do Steve? Ou o careca judeu que andava nu em casa? Por Sta. Prada, naooooooooo! 



segunda-feira, 20 de maio de 2013

coisas bonitas

Vestidos com bolsos.

A.D.O.R.O





Mesmo sendo nesta cor pêssego tipo madrinha de casamento em Corroios. Mesmo sendo um Micael Oliveira.

Mas a moça até está bronzeada. 

Gosto mesmo de vestidos com bolsos


via vogue.pt

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Como um livro me irrita

Estar a ler um livro cuja narrativa (nada de comparações socráticas) continuadamente, no discurso indirecto, trata os personagens por "o" Santiago fez, "a" Amélia sentiu, o "Don Armando" anuiu. Mas que raio? 

Para quê o uso do artigo? Não é discurso directo. Ai que me colide tanto com os nervos que me apetece atirar as 1083 páginas à cabeça do tradutor e do editor! 

É coisa do novo acordo ortográfico? 

Está-me mesmo a chatear a ponto de não me apetecer insistir até porque esta porra pesa no meu dia a dia de caminhante e frequentadora de bus! 

Na verdade, estou lá #68

Kanuhura Hotel
Lhaviyani Atoll, Maldives















terça-feira, 14 de maio de 2013

Encontramos-nos no picnic?

Picnicar está na moda.

É ao ar livre, apanha-se sol, é prazenteiro de facto. 

De tal modo que qualquer evento dá origem a um xitex em torno de um picnic (e comida à borla, lá está!) 

Seja uma nova gama de tintas para parede, comida para animais ou antihistaminicos, Eureka! Sucesso garantido. Fazia muitos clap-clap à marca Gino-Canesten se conseguisse organizar um picnic, mobilizar a "equipa vencedora" do costume e ainda dar "goodie bags" que desfilassem em fotos no Instagram. Era um momento único. 

Épico. Gino-Canesten bomba esse picnic! 

Constatações



Ainda bem.


segunda-feira, 13 de maio de 2013

oh pá, não me lixem.




Eu podia estar a deixar passar cenas em prol da paz social e de ter muitos mais mimos nesta fase, mas a verdade... Não, muito obrigada! 

As coisas são como são, as pessoas são como são, e não creio que devamos alimentar coisas que não são reais para ficar bem na fotografia e não dizer o que se pensa / sente para não ofender os outros, quando foram estes que nos ofenderam em primeira instância. 

Não sejam piegas, citando a amiba Coelho. Ide em paz, cada um na sua. Tenho muitoooooo mais que fazer. 

domingo, 12 de maio de 2013

Auto Retrato

"Nunca fui como todos
Nunca tive muitos amigos
Nunca fui favorita
Nunca fui o que meus pais queriam
Nunca tive alguém que amasse
Mas tive somente a mim
A minha absoluta verdade
Meu verdadeiro pensamento
O meu conforto nas horas de sofrimento
não vivo sozinha porque gosto
e sim porque aprendi a ser só."

             - Florbela Espanca 




Goes without sayin'

§

Domingos


Never ending process.
A cada um o seu fado. 


sexta-feira, 10 de maio de 2013

Na verdade, estou lá #67


Dorado Beach - Ritz-Carlton Reserve
100 Dorado Beach Drive
Dorado, Puerto Rico