domingo, 8 de junho de 2014

Sistema GPS de facto util

Pessoas que nos conhecem bem são aquelas que perante o facto de estarem milhões de pessoas em Paris, sob 30º graus humidos, eu com um email a explicar onde nos deviamos encontrar no ipad, ele munido do seu ipad com o google maps aberto, eu de mapa da cidade à turista, a caminhar ao longo da Concorde e, mesmo assim, muito pragmaticamente recebo as seguintes indicações: 

"Passas a Zara, a HM, a Swatch, também há um Mcdonald's. Viras na Oysho à esquerda. Aí é só seguires o nome das ruas."

Cheguei primeiro que os anfitriões. Uma hora depois, sempre a andar. Não me perdi, não parei para perguntar mais nada. E o restaurante impecável. "Trés bon." A 5m. da exposição que ia ver a seguir. 

terça-feira, 20 de maio de 2014

Houvera danones gramaticais

Coisas que (ainda) me surpreendem: pessoas que dizem "prontos". Ou numa derivação muito própria, "prontes". 

De forma abrangente. Nem sequer se pode dizer que é uma erro de programação geracional. É um lapso de ignorância que o senso comum podia corrigir. Bastava um "bocadinho" assim... 

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Vogue goes on acid numa levada perto de si

Yeezus volta que estás perdoado. 
Kapinha faz escola. 
Mario Testino ao nivel da Nova Gente. 

Podia estar todo o dia nisto. 

quinta-feira, 15 de maio de 2014

A estranheza é um lugar comum

Nail art (porquê, senhores, porquê?) em abundância e em laivos criativos que faz corar uma stripper honesta. Combos matchy matchy de Eletta Vilamoura com Pandora, um mix vencedor em toda a linha e que em nada fere a vista incauta. O Olivier disputado entre unhas falsas partidas e facas no pescoço na recriação pós moderna do Eu Tenho 2 Amores (uma loura, uma morena) - um guilty de sedução que não se consegue explicar em nenhum Harlequin. 

Posto isto, a Alexandra Solnado no Parlamento numa Comissão de Saude... Pacifico! 

segunda-feira, 12 de maio de 2014

A campanha anda aí

Tudo bem que começaram a beber copos (que mais se pode fazer face à falta de argumentos e perante o histórico?) mas o que se retêm deste dia de campanha do arco da governação? Francisco Assis diz "há 3 anos atrás". 

Está certo! 

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Inesperadamente, a semana passada

Uns dias bons.

O  25 de Abril. Comer caracóis, os primeiros deste ano. Passear e trabalhar no Porto, deambular nos Clérigos. Diariamente, sessões de The Newsroom e Melhor do Que Falecer. O Pedro Mexia e os ferrinhos na emissão especial do Governo Sombra (e a banda sonora e a Manuela Azevedo e as citações certeiras de Salazar bem seleccionadas por Ricardo Araujo Pereira). O Benfica, tão grande! Opá, o Benfica ❤️

sexta-feira, 18 de abril de 2014

gaja à beira da loucura

Isto pode paracer a demência absoluta mas já estou por tudo.
A Alexandra Solnado (isso mesmo, este post vai por esse caminho...) dizia numa entrevista, há umas semanas, ao promover o seu mais recente "livro" que a maioria das pessoas que lhe aparecem para consultas, são pessoas doentes - jura?!

Agora, a sério, as pessoas padecem de doenças fisicas e, no seu desespero, que nem é discutivel porque cada um saberá o que se sente quando se chega a esse patamar, procuram ajuda ou conforto no projecto da Alexandra Solnado (é assim que se chama). Posto isto, explicava a Alexandra Solnado que as doenças são, não obstante, reflexos de outros problemas mais antigos ou e a outros níveis. Não me recordo dos exemplos que ela dava mas era algo como pessoas que tinham tido muitos desgostos e uma vida marcada pela tristeza, desenvolviam uma doença grave em especifico, localizada numa área do corpo em particular. 

Ora, e dando o beneficio da duvida a esta teoria (pois que temos a perder?), gostava de saber que raio de karma é o meu para estes problemas todos com os dentes. Consecutivamente, todas as semanas. Sem razão de fundo aparente. 




terça-feira, 8 de abril de 2014

Absolut Maria!

OO facto de eu admitir que até gosto de passar a ferro, já por si dá azo a risos. Eu acrescentar que pode ser relaxante, não ajuda. Assumir que em dias de calor, e com muita roupa para passar, chegar a abrir uma garrafa de vodka, pôr gelo no copo, musica alta e vamos a isto, dá um certo ar decadente à coisa... 

Mas eu podia invocar, em meu abono, que há quem escreva livros sobre aquecer "um nadinha" (esse preciosismo de bradar aos ceus) de vodka com infusões, ou o que era, de alfazema, e usar essa "mistura" para perfumar a roupa, qual receita caseira. 

Não invoco, porque não estou alcoolizada. E porque apesar dos livros estarem publicados e à venda, o estilo crónica feminina da metrópole lusitana não me calha (um nadinha) bem. 

domingo, 23 de março de 2014

Organismos Unicelulares ...

"alimentam-se" de pequenos prazeres (no pouco tempo) quando não estão a trabalhar (como é o caso!).





Filme para incomodar, para gerar desconforto, que nos deixa sem conseguir estar sentados. Um filme que não é para quem não se gosta de ver ao "espelho". 
A ultima cena, explica tudo. 



Por fim, TV Cine Séries. YES!




National Geographic, às 2ª F


A rever. O Original. Só este interessa. 



De volta. Gente estranha. Dia 25!







sábado, 22 de março de 2014

Questões ÜBER pertinentes

Dado o "desinteressado" e subito amor que a blogosfera despertou pelas Paez, deito as minha fora? 

Conforto vs. associação a moda de carneirada recomendada por gente-que-benza-deus?

Duvidas, a minha vida são duvidas! 

quinta-feira, 13 de março de 2014

Crónica de um caos anunciado

Email: ok! Ah, e tal, não basta ter internet em casa e ser cliente zon, esqueci-me de associar a minha conta de email zon à minha conta de cliente zon! Arrrrghhhhh! Tekkies d' um raio. 

Conta iCloud: ok. Activada. E todos dispositivos Apple na paz do senhor. 

Cartão do Cidadão a caminho do seu ocaso mas habemus passaporte pois que posso viajar. E, com calma, fazer um novo. 

Ora, portanto, então o que calhava mesmo bem? Pois, era o cartão de credito ser alvo de pirataria e sacarem-me dinheiro. Bom, mas bom. Assim, de repente, pqp. 

domingo, 9 de março de 2014

Afastem os electrodomésticos

Oito horas na Loja do Cidadão não haviam sido suficientes. Oito horas para fazer um miserável cartão de cidadão. O sistema lento, qual ritmo subsahariano, aparentemente com falhas informáticas, tentava os instintos agressivos de qualquer sanidade mental. Um número antes do meu, o sistema morreu de vez. Um dia inteiro perdido, de uma inexistência absolutamente inútil, sem qualquer consequência e os nervos em franja. Informações pertinentes, em tempo real, não existem em espaços de atendimento ao publico. Ninguém sabe nada (é um falha nacional restrita a Lisboa, faz sentido ir a outro sítio?), ninguém avisa, nada. Só estamos ali para esperar, refilar, mas baixinho para não incomodar ou voltar no dia seguinte. 

Depois de um dia inteiro de loucura informática para começar o fim de semana, desde ontem o email deixou de funcionar. Porque as credenciais de autenticação não são reconhecidas. Segundo a Zon, a minha conta não existe (oi?) apesar de receber emails. Como sou Apple coherent, ligar para a PC Clinic por causa das configurações. Mas que não, não, não tem a ver com as configurações, porque é comum ao telefone, iPad, ao mac, nem o webmail reconhece a password, é pois um problema do servidor da Zon. A primeira linha da Zon desconhece qualquer problema de servidor. E eu farta de os ouvir. Estou com otite, com dores de garganta, estou farta de stmpa, de passwords, de problemas técnicos, e continuo sem que nada funcione, sem que resolvam alguma coisa. Até amanhã as 11:07 (precioso), alguém vai ligar.

Para rematar, a minha conta da ICloud foi desactivada. Porque não sei as respostas as perguntas de segurança. 

Se virem um microondas a voar, não se surpreendam. Fui eu que o liguei. Quando queria apagar a luz.