Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Do segredo que destruiu

Todos temos segredos. Alguns nem sequer pensamos neles de tão recôndita é a sua existência na nossa profundeza e silenciosa obscuridão. 
Outros são pedaços avulso da nossa vida, lembranças que foram ficando de momentos em que libertámos energia. São nossos. Podemos ter partilhado com outros mas o impacto, o abalo, a satisfação, a penitência, o peso desse histórico é apenas nosso e de mais ninguém.
Há sempre um segredo que tem mais força sobre nós. Que nos esmaga o discernimento, a respiração, pelo qual questionamos tudo, onde vamos, se abandonamos tudo, se corremos riscos ou ficamos inertes no que é nossa realidade.
O meu segredo és tu. Toda a revolta que um dia minaste em mim, as sucessivas vagas de insatisfação que deste azo, a incapacidade de sentir com a mesma força, entrega, inocência, e imensa habilidade de acreditar, natural.
Contigo destruí tanto em mim. A imediatez cresceu para o calculismo. O brilho afectuoso foi ultrapassado pela pérfida da tesão. Crer passou a desprendimento. …
Mensagens recentes

Do arrebatamento

O vestido caiu facilmente. Estava apenas preso pelas alças nos ombros magros e deslizou com vontade declarada pelo corpo, até ao chão, enquanto ela acendia uma única luz de presença.

Beijou-lhe o ventre. Sentiu-o a tremer. Antecipação. Expectativa. Sentia-lhe o calor sem sequer tocar. Era como uma fonte inesgotável de desejo prestes a desmoronar-se com um toque. Os dedos enfiaram-se entre a pele e a linha das cuecas de renda fazendo-as sair com mestria. Estava liberta, da máscara de tecidos, não das demais camadas de protecção. Tal não a impedia de arfar baixinho e com satisfação sob um rosto que perdia vergonha a cada caída da cabeça para trás.


Nua, encostada à parede fria, costas arqueadas, totalmente exposta viu-a a desmontar-se com cuidado ao primeiro beijo que se colou à boca como dali não houvera saída. Era intenso, forte, penetrante o modo como ela o arrastava para si com a língua e uma perna em torno da cintura.


Todo aquele momento era primário, selvagem, sem travões ainda que, e…

Missing you, missing us

I miss talking to you. Miss you making me laugh. Miss you touching me. Miss kissing you. Miss having you turning me on even at a distance. 
Miss feeling dirty, horny, and close to you. Miss the random conversations. Miss falling asleep in your arms and running from you in the rain. 
I miss been held strongly and devoured intensely. Miss having you in me, being torned while moaning, sweating without guilt. I miss being thrown in bed as a light feather and just lose conscience about everything else except you, your eyes always making me feel naked, your hands in all of me without shame.
I miss scream in pleasure and fall lost, silence, satisfied and wanting more and more. I miss the way you leave me abandoned to myself as I come with no holding back and feeling your smell.

I miss you.

Um dia

Um dia estávamos deitados num jardim, numa tarde fria de muito sol, de mãos dadas e calados. Folhas de inverno suportavam a nossa proximidade. E ali residia um dia de felicidade. Sentia tremenda exaltação que atirei para o recyclebin emocional a sensação de fractura prestes a acontecer.
E devia ser assim que continuávamos. Pelo meio das tormentas e do céu azul. Dos ajustes conscientes, da intensidade tornada suave, da paixão que rompia a pele em cada investida dos corpos, arrebatados e suados. Desejo que não cessava. A descoberta do outro. O hábito do outro sem rotina.
Mas nenhum amor dura para sempre. Há os que sobrevivem ao desgaste do tempo e solidificam em algo muito maior, uma ternura que se cruza com a proximidade dos anos. Há os que morrem por si de modo simples e singular, quase ameno mesmo que com a nostalgia do que se perde. Há os que se interrompem com brutalidade e a dureza de uma pancada inesperada, uma insónia sem fim, a falta de ar num ataque de ansiedade.

Desligaste-o da …

Da guerrilha

Ninguém apostava em nós. Somos o cavalo perdedor com boa pinta mas com todo potencial de desastre.
Até nós não estávamos cientes da onda que nos ia assolar. Nem tínhamos muita noção que existíamos um para o outro. Convivíamos, inquietávamo-nos, desafiávamo-nos, provocávamos guerrilha entre dois cérebros rápidos e respostas matreiras. Somos da mesma massa, saborosa, mas difícil de moldar a qualquer recipiente. Questionámos toda a doutrina de que os opostos atraem-se e geram o equilíbrio. Um erro. O balanço que esse quadro afina vai esconder os desejos mais arrivistas, ou mais tranquilos, de pessoas cujo ritmo se torna a cada dia mais distante. Alguma chama se extingue pelas circunstâncias. Alguém morre enredado na rotina.
Somos ambos indomáveis e soltos, espontâneos e prontos a ir. Não interessa onde. A experimentar. Algo novo. A ter curiosidade sobre tudo desde o mais banal e pouco perceptível ao mais grandioso e óbvio. A olhar com profundidade quase letal os outros e não ter misericórd…

Das razões

Quero-te pela desarrumação incompreensível que somos. Quero-te pela forma como me procuras à noite na cama, ainda a dormir, de modo instintivo, apenas para te recostares do mundo e amaciares no meu calor. Quero-te (tanto) quando sais do mar, feliz e salgado, qual criança livre agarrado à prancha como se fosse o teu bem mais precioso, a tua melhor amiga, a porta para o teu refúgio. Quero-te pelos beijos inesperados, lentos, que invadem qual descarga eléctrica, e afirmam sem hesitações desejo e amor. Quero-te pela forma como te afundas num livro e tudo à volta entra em pause-still e, mesmo assim, de repente tocas-me no joelho, no cabelo, dás-me a mão. Quero-te porque sei que acreditas em mim e não me questionas, crês que posso mudar o mundo. Quero-te pela tesão, confiança, cumplicidade e pelas saudades que temos, ainda, sempre, um do outro. Quero-te por te rires quando começo a cantar músicas que gosto e ouço a tocar, esteja onde esteja. Quero-te por dançarmos na rua se preciso entre ga…

I shine

Kiss me before you break my heart. There is still room to be damaged for every breath I take on myself and for myself. I regain confidence on me on every touch of you, even those that will be lost. 
The shivers running down on my spine awaken me and allow me to make you feel stronger, bolder, in love with life. 
I expand my senses while you will torn my world apart. We are under the same sky but I am meant to be a trail of light rather than a guiding star. 
I will burn your soul and you will break my heart. Yet I shine. So, kiss me and let's pretend.