quinta-feira, 30 de junho de 2011

Amor à 1ª lambidela ...



Mhamm Mhamm ... Não dá para perceber mas é gelado de chá verde com um fio de hibisco. Maravilhoso!

Não obstante, €2,75 por um cone de um sabor parece-me, vá, e sendo "fofinha" ... UM ROUBO. 

Sei que sou chique a valer e vivo à conta de um Fundo, mas creio que a Haagen-Dazs ainda não percebeu a história da austeridade, do imposto de 50% sobre o subsidio da natal ou não tem visto o que se passa na Grécia.

Mas que é bom, bom a valer, não há dúvidas. E não se criam grandes sentimentos de culpa, tipo incha porca pra' matança, porque é chá frio, caramba!

Objecto de Desejo da semana



Aurélie Bidermann's green braided cotton bracelet with a neon-pink enameled mother of pearl charm.

Dá-me coisinha má ... Adoro, adoro!

Disponivel no Net-a-porter: www.net-a-porter.com

Desertinha de lhes pôr as mãos em cima!



«O Tempo entre Costuras» é a história de Sira Quiroga, uma jovem modista empurrada pelo destino para um arriscado compromisso; sem aviso, os pespontos e alinhavos do seu ofício convertem-se na fachada para missões obscuras que a enleiam num mundo de glamour e paixões, riqueza e miséria mas também de vitórias e derrotas, de conspirações históricas e políticas, de espias.
Um romance de ritmo imparável, costurado de encontros e desencontros, que nos transporta, em descrições fiéis, pelos cenários de uma Madrid pró-Alemanha, dos enclaves de Tânger e Tetuán e de uma Lisboa cosmopolita repleta de oportunistas e refugiados sem rumo."



"A biógrafa vencedora do Prémio Pulitzer traz de regresso à vida a mulher mais intrigante da história mundial: Cleópatra, a última rainha do Egipto. Cleópatra foi uma hábil estratega e negociadora que reformulou os contornos do mundo antigo. O seu palácio fervilhava de intrigas políticas e sexuais. Casou-se duas vezes, com dois dos seus irmãos. Iniciou uma guerra civil contra o primeiro e envenenou o segundo. Cleópatra terá tido relações sexuais apenas com dois homens: Júlio César, de quem teve um filho, e Marco António, de quem teve três filhos. Por essa altura era já a soberana mais rica do Mediterrâneo e a mulher mais influente da época. Com Marco António, tentou forjar um novo império numa aliança que conduziu à destruição de ambos. Famosa antes de se tornar lendária, Cleópatra tornou-se uma figura histórica - Shakespeare e Shaw deram-lhe uma voz; Miguel Ângelo, Tiepolo e Elizabeth Taylor deram-lhe um rosto. Mas desconhecemos a sua verdadeira personalidade. Num regresso magistral às fontes clássicas, Stacy Schiff separa os factos da ficção, de forma a resgatar esta rainha fascinante, cuja morte trouxe uma nova ordem mundial, uma geração antes do nascimento de Cristo. Rico em pormenores e com uma abrangência impressionante, esta é a reconstituição profundamente original de uma vida deslumbrante."





Conclusão Futil do dia

Em homenagem à minha taróloga dilecta, exerço as minhas valências de fútil admitindo que os vernizes da Chanel são mais duráveis que os da Dior.

Pronto, e é isto!

Obrigada, e  bom dia!

Filosofia de Blogues III

Há uns anos tinha uma amiga, dos tempos idos da faculdade, que na primeira vez que foi à Feira da Golegã, para impressionar os amigos da sua paixão, apareceu de calças pretas a imitar crocodilo  e umas botas de estilo lycra elástica de salto alto, da Versus (versace), ou uma marca assim. Estava um frio, chovia, havia lama e a única coisa apropriada que a rapariga tinha vestido era um oleado. 

Isto foi há 17 anos. Nunca me esqueci. Eu de jeans, bota alentejana e boina. Até me senti mal.

Lembrei-me disto porque, lá está, nas deambulações pela blogosfera nacional, tenho sensações  dejá vue. Isto no sentido de que há pessoas que no seu esforço pela evolução, não conseguem largar uma espécie de "provincianismo". E, estando "à moda", exageram no seguidismo, que confundem com estilo. 

Não é dor de corno. Ou melhor, até é uma espécie disso.  

Porque dá dó terem corpinhos tão "trabalháveis" e depois ... pronto, quadro de misérias, como diria a Mary (também conhecida como a gaja escorraçada por uma blogger LOL). Deram as nozes a quem não tem dentes, dassse

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Dedicado à Ana A.




Miuda mái gira, 

Os KEDS brancos já cá cantam. Infelizmente já não havia beges.

TOP, TOP.

Estão um pedacinho grandes mas só havia 37,5. Aguente-se!

Obrigada pela dica ... sapatinho à séria, nada de primarks ou seaside LOL

Bjo...

a terra dos famosos

Há uma moça, ex corista, actriz revisteira, que frequentava a mesma clínica que eu. Moi même, na altura, só queria saber do seu aparelho, e portanto entrava no corredor dos dentistas. A "jove" bastante roliça (alá castiga, estou a pagar isto caro... incha porca!) era acompanhada por um terapeuta da dieta south beach ou algo dentro do género.

Aquilo lá deve, de facto, ter resultado, pois Cristina Areias chegou a ser capa da Playboy. Upa, upa!!!


foto: Correio da Manha, www.vidas.pt



As declarações dela ao Vidas do CM, de que "fazia topless antes de ser famosa" são prova provada do mal que grassa neste minúsculo rectângulo. Não é pequenez geográfica, é a pequenez provinciana das mentalidades.

Mas a menina é famosa... de quê? De onde? Qual seu feito relevante ou contributo real?

Andei a pesquisar o significado de "FAMOSO", de forma metodológica (aka, Net), e a palavra significa conhecido, ilustre, notório, proeminente, ou mesmo, notável. A menina, de facto, é algo conhecida mas em circuitos restritos, e de notório ou proeminente só se forem as mamocas, aquelas que ela agora tapa com pudor, desde que é "famosa".

Oi? Perdão?

Ela arroga-se ao direito de se achar famosa. Problema de falta de discernimento do individuo. O pior é darem-lhe atenção exactamente por ela (e outros) dizerem e acharem estas merdas. Está giro. 

nuno, tinhas falado comigo, pá!

Li hoje no DN (acho, não tenho a certeza, a sério, lamento se me estou a equivocar), no resumo que fizeram da entrevista-base, que em tal "entrevista do ex-avançado do Benfica ao Record (NA: aka, pasquim mete nojo),  [Nuno Gomes] poupa os dirigentes (embora denuncie a impotência perante o treinador) e põe toda a responsabilidade da dispensa no homem que se senta no banco" .

Bem-vindo ao mundo real.

Se tivesses tido um têtê-a-tête com esta humilde sócia, em finais Março, desde logo ter-te-ia explicado, ó Capitão que existe sempre um gajo idiota com falta de carácter e de tomates que tem sempre a culpa, como os mordomos.

É a Lei da Selva, mas os FdP safam-se. E as pessoas de bem (nós), seguem em frente com graciosidade (mas lixados). True story. 

Mais do que palavras ...

Amor de tia!

-Pedro, olha o presente da tia, pra' levares para a praia!
Estendo-lhe, cheia de orgulho, as mini havaianas e o gajo desata-me num berreiro. Sua excelência, só gosta de Crocs.

Enquanto rebolávamos na brincadeira.

-Pedro, quem é a coisa boa da tia?
-Sim, mas vamos tirar fotografia? (nem aí para o facto do estupor do iPhone tem "dói-dói"... Ahn, ahn, e ele com isso?)


Na cozinha.

-Pedro, queres brincar com a tia?
- o tio nuno? (Oi? Perdão? Como é? Quem?)
- O tio Nuno esqueceu-se de vir buscar a tia e foi pra' casa.

Olhou-me muito sério. E riu-se. O sacana riu-se!

Claro que tudo é compensado pelos beijos, pelos "tia monica" e, claramente, pelos 2 sacos de fardas para o colegio. É tudo maravilhoso. O meu puto vai ser o reí dos sub 3!

sem titulo

A morte de ninguém deve ser vista como efeito pedagógico.

Para mim, não obstante, que nunca uso cinto de segurança quando viajo atrás, vou mudar radicalmente de postura. 

Não gosto de conduções perigosas ou demasiado rápidas e não ando, à partida (só se não conhecer o estilo do condutor) com aceleras que ignorem o código da estrada como se ele não existisse. Mesmo assim, isso não quer dizer nada pois há tantas mais pessoas a cruzarem-se comigo, em andamento. 

Lamento imenso pela família. E pela família das demais vitimas (uma também já falecida, outra internada). E pelas famílias de todos aqueles que pereceram na estrada, sobretudo os que foram apanhados pelas circunstâncias, sem culpa alguma. Perder alguém é uma dor que nos racha da cabeça aos pés. Porém, lamento mais por quem morreu (morre, morrerá ...), perdendo a vida que tinha(m) à disposição.

Tinhas um sorriso contagiante. Descansa em paz, Angélico. 

terça-feira, 28 de junho de 2011

O meu namorado está com tonturas

Só estou a postar esta informaçao assaz importante porque ele se queixou que ninguém lhe dá atenção na blogosfera às suas tonturas e porque quero SENSIBILIZÁ-LO a que vá ao médico. 


Agradeço o apoio nesse sentido. Obrigada, desde já!!!!

Cine Conchas

O CineConchas acontece na Quinta das Conchas, um dos espaços verdes de Lisboa.

Na zona cimentada do parque, é montada uma plateia de 650 lugares.

A entrada é livre, tal como nos anos anteriores

Mais info em http://cineconchas.cinema.sapo.pt/

Programação

29 Jun | José e Pilar29 Jun | José e Pilar
A Viagem do Elefante, o livro em que Saramago narra as aventuras e desventuras de um paquiderme transportado desde a corte de D. João III à do austríaco Arquiduque Maximiliano, é o ponto de partida para José e Pilar, filme de Miguel Gonçalves Mendes que retrata a relação entre José Saramago e Pilar del Río. Mostra do dia-a-dia do casal em Lanzarote e Lisboa, na sua casa e em viagens de trabalho por todo o mundo, José...

30 Jun | Sete vidas30 Jun | Sete vidas
Tudo começa com uma lista de sete nomes: Ben Thomas, Holly Apelgren, Connie Tepos, George Ristuccia, Nicholas Adams, Ezra Turner e Emily Posa. A única coisa que eles têm em comum é que todos chegaram a um ponto de viragem na sua vida, e cada um precisa de ajuda em diferentes sentidos: finanças, espiritual, saúde… Ben (Will Smith) escolheu cuidadosamente cada uma destas pessoas para as ajudar, de modo a redimir-se...

1 Jul | Austrália1 Jul | Austrália
Lady Sarah Ashley (Nicole Kidman), cansada de esperar pelo marido que se encontra na Austrália embrenhado na exploração de uma enorme quinta, decide viajar afim de o resgatar e trazer de volta para o conforto aristocrático inglês. Porém, ao chegar ao novo continente, vê-se confrontada com uma sucessão de acontecimentos que irão transformar-lhe a vida para sempre. Um filme épico, de grande intensidade dramática, no...

2 Jul | O Discurso do Rei2 Jul | O Discurso do Rei
Após a morte de seu pai, o Rei George V (Michael Gambon), e da escandalosa abdicação do Rei Eduardo VIII (Guy Pearce), Bertie (Colin Firth), que toda a sua vida sofreu de um debilitante problema de fala, é coroado Rei George VI de Inglaterra. Com o país à beira de uma guerra e a necessitar desesperadamente de um líder, a sua mulher, Elizabeth (Helena Bonham Carter), futura Rainha-mãe, encaminha o marido para um excêntrico...

7 Jul | O Segredo dos Seus Olhos7 Jul | O Segredo dos Seus Olhos
O detective Benjamin Esposito depois de retirado da polícia decide retomar a investigação de um crime de violação e homicídio com vinte cinco anos e ainda por resolver, acabando por revisitar as suas próprias memorias de amizade, paixões e mortes. Este novo olhar sobre o passado acaba por acrescentar novos dados e alterar definitivamente o seu futuro. Ficha técnica Realizador: Juan José Campanella Género: Drama,...

8 Jul | Os Agentes do Destino8 Jul | Os Agentes do Destino
À beira de conquistar um lugar no Senado, o ambicioso político David Norris (Matt Damon) conhece a bela bailarina contemporânea Elise Sellas (Emily Blunt), uma mulher como ele nunca conheceu. Mas assim que se começam a apaixonar, misteriosos homens conspiram para mantê-los afastados. David percebe que está a lutar contra os próprios Agentes do Destino, que farão tudo ao seu alcance para evitar que David e Elise fiquem...

9 Jul | Gru – O Maldisposto (V.P.)9 Jul | Gru – O Maldisposto (V.P.)
Num feliz bairro suburbano, rodeado por pequenas cercas brancas, com roseiras floridas, encontra-se uma casa negra com a relva morta. Sem o conhecimento dos vizinhos, escondido por baixo desta casa, existe um vasto esconderijo secreto… Rodeado por um pequeno exército de Mínimos está Gru, planeando o maior golpe na história do mundo! Ele vai roubar a Lua!… Gru adora tudo o que é maléfico. Armado com o seu arsenal...

14 Jul | Adeus, Lenine!14 Jul | Adeus, Lenine!
Ao ver o filho Alex ser preso numa manifestação, Christiane tem um ataque cardíaco e entra em coma. Quando acorda, vários meses depois, já o Muro de Berlim e o RDA caíram. Sabendo que o mínimo choque pode ser fatal para a mãe, Alex tenta esconder as mudanças da sociedade, fabricando programas de televisão já extintos e mantendo o apartamento enraizado no passado. Ficha técnica Realizador: Wolfgang Becker Elenco:...

15 Jul | O Despertar da Mente15 Jul | O Despertar da Mente
Joel (Jim Carrey) e Clementine (Kate Winslet) conhecem-se numa praia longe de suas casas, num dia estranho em que ambos decidiram por ali passear, fugindo às rotinas diárias. Este é o mote para o mais fantástico filme de Michel Gondry “A Ciência dos Sonhos”, que mergulha nas profundezas da existência humana e na dependência que a nossa personalidade tem das memórias que vamos construindo. Um filme sobre acasos,...

16 Jul | As Extraordinárias Aventuras de Adèle Blanc-Sec16 Jul | As Extraordinárias Aventuras de Adèle Blanc-Sec
Estamos no ano de 1912. Adèle Blanc-Sec é uma jovem e intrépida repórter, disposta a qualquer coisa para atingir os seus objectivos, inclusive navegar rumo ao Egipto para enfrentar múmias de todas as formas e tamanhos. Enquanto isso, em Paris, o pânico está instalado. Um ovo de dinossauro com 136 milhões de anos eclode misteriosamente no Museu de História Natural, e o pássaro invade os céus da cidade espalhando o...

21 Jul | O Véu Pintado21 Jul | O Véu Pintado
Passado nos anos 20, O Véu Pintado conta-nos a história de um jovem casal britânico – Walter, um médico da classe média e Kitty, uma mulher da alta sociedade – que casam pelas razões erradas e se mudam para Xangai, onde ela se apaixona por um outro homem. Quando Walter descobre que a mulher lhe é infiel, leva-a consigo para uma aldeia remota da China, devastada por uma mortífera epidemia, num acto de vingança....

22 Jul | A Rede Social22 Jul | A Rede Social
Certa noite no ano de 2003, o génio da programação e aluno de Harvard, Mark Zuckerberg, senta-se ao computador e começa a trabalhar numa nova ideia. Aquilo que inicialmente era apenas uma mistura de programação e blogging, cedo se tornou numa rede social à escala mundial, que revolucionou a forma de comunicar. Seis anos e 500 milhões de amigos depois, Mark Zuckerberg é o mais novo bilionário da História… mas...

23 Jul | Entrelaçados (V.P)23 Jul | Entrelaçados (V.P)
Quando o bandido mais procurado – e mais encantador – do reino, Flynn Rider (Zachary Levi), se esconde numa misteriosa torre, é feito refém por Rapunzel (Mandy Moore), uma miúda gira e enérgica presa na torre, que tem mágicos cabelos loiros com mais de 20 metros de comprimento. A “raptora” de Flynn, que procura por uma saída para fora da torre, onde esteve encarcerada durante anos, faz um acordo...

segunda-feira, 27 de junho de 2011

preciso de receitas... muitas!!!

Filosofia de Blogues II

Não sou expert em design, moda ou aconselhamento personalizado sobre o que vestir.

Tenho o meu próprio gosto, acompanho tendências e devoro revistas em busca de novos cremes, vernizes, carteiras. Não tenho nem budget nem corpo para grandes produções mas posso admirar e partilhar. E gosto mesmo de roupa. Adoro trapos.

O meu "cantinho blogueiro" não é patrocinado. Porque não quero. Tudo o que recomendo, e eu possua, paguei (ou o cartão de crédito pagou) ou são coisas que experimentei e gostei ou fui bem atendida ou são coisas de amigos. Apesar da sua modesta visibilidade, mas com visitantes muito estimados, já podia ter cá posto uns anúncios. Recuso-me. Nada contra, mas não é esse o meu objectivo. 

O meu "canto" é multitemático e mantem-se fiel àquilo que gosto, penso e digo, a bem ou a mal, sm grandes filtros. Goste quem goste, não comprometo os meus disparates para não ferir a imagem de marcas que cá estivessem publicitadas. 

Mais uma vez, nada contra. É só uma opção (PS: Prada, Gucci, Vuitton, Chanel, Marchesa, Dior, Uterque, Bimba y Lola, pra' voces, mi casa, su casa).

Divirto-me à brava a vaguear por blogs de pseudo-fashionistas, nos quais há ANÚNCIOS (!!!), e ver as coisas giras que aparecem.

Hoje deliciei-me com um blog em que a autora, super doutorada em conselhos de moda, aparece a mostrar os seus looks, com (e vamos por partes...):

- unhas dos pés, amarelo L'Oreal;
- unhas das mãos, rosa (laranja?);
- pulseiras Virgencitas (não há cu que aguente!!!) misturadas com Pandora (no fuckin' comments);
- relógio Eletta com brilhantes;
- top de folhos rematado com o pendente do sapato Blanhick da Tous (pessoalmente, acho possidónio mas sou só eu!).


Há outro elemento comum e fascinante a esta malta... A obsessão pela H&M (ok, tem coisas giras e bem em conta mas a qualidade das peças, na mão, deixa muitas vezes a desejar) e pela Blanco. Neste ultimo caso, acho mesmo caro para o que é, sobretudo caro para o estilo vulgarucho. 

Uma última consideração: quando um blog publicita o ultimo gel de banho de pêssego do Lidl, 5 ou 6 também o publicitam. E é sempre a ultima coca-cola do deserto.

Eu acho mesmo piada... Relógios Eletta Vilamoura... P'loamordasanta.



Combinação perfeita para amar à 1ª vista

MOLESKINE + O PRINCIPEZINHO







Como diria a Maria da da Cunha da Costa: "Like it, like it!!" 

Filosofia de blogs

Há dias em que visito alguns blogs que costumo acompanhar e juro que parecem o canal televendas.

A crise chega mesmo a todos.

verdades

domingo, 26 de junho de 2011

Sunday Night Blues

A quem peço desculpa por ser uma falhada? 

Acabei de navegar por um blog que já não visitava há algum tempo, e não sei se é do calor, de algum desenquadramento hormonal ou de uma sensação de que "não presto pra' nada", mas fiquei tão desiludida comigo, que só com muito esforço amanha me levanto. 

Acho que vou andar ausente uns tempos.

Dou-te um doce...

Parece episódio de uma sitcom.

Há gelado cá em casa. Escondido. Apenas degustado quando uma certa pessoa (dou uma dica, tem unhas amarelas) se vai deitar ou está na mesma divisão mas sem o angulo de visão adequado.

Mais um pedacinho, e vivem cá strippers e não dou por nada.

Relações modernas ... Ou obesidade

Lisboa iluminada

O trânsito em Lisboa é um verdadeiro caos. Tal como em qualquer grande cidade. Todavia, o stress induzido pelo número de carros que se cruzam diariamente tem, em Lisboa, um efeito por demais pernicioso, ao afastar a atenção de todos aqueles que desesperam da verdadeira magia da cidade. Não permite que se perceba a luz que irradia, o brilho característico que atravessa séculos de fama e paixões assolapadas vividas em becos e vielas de calçadas gastas, mulheres desafiadoras na sua longa tradição de subserviência, o fado em cada madrugada de sentimentos, em cada nascer de dia reflectido no mais belo Tejo.

Pela janela do quarto em que o Sol madrugador entrava sem pudor, ela olhou intensamente o dia que ganhava forma através de um frio outonal cortante e do movimento conturbado que sacudia as ruas. Aninhou-se ainda mais contra o vidro, aqueceu-se com as imagens que lhe preenchiam a mente, recordando-se de como na noite que findara  se sentira completa como nunca antes, se perdera nas deambulações dos dois corpos que sem fim se haviam tocado, embalada depois num cansaço tranquilizante, num conforto d´alma, num sono abraçado por ele, por entre lençóis desalinhados.

O café escaldante enchia o ar daquele aroma por ambos partilhado e dava-lhe o ânimo matinal de que ela tanto carecia. Sentia-se adormecida por demasiadas contemplações. Toda a crueldade e frieza que compunham a sua natureza atípica pareciam ter-se desvanecido e ela já sentia a melancolia de saber que em breve teria novamente que envergá-las, assim que voltasse à realidade.

Fazia-se tarde. O resto do mundo não parara o relógio. Apenas os ponteiros naquele quarto haviam cessado como inesperado presente entregue em bandeja de prata. Porém, fora efémero e havia agora que retomar de novo a sua pele, abandonar o estado de espírito que até então dominara, iluminado por 1001 estrelas que haviam acompanhado o encontro de dois desconhecidos em perfeita harmonia.

Naquela noite, ela traíra-o. Deixara-o ver uma outra personagem que se soltara do seu interior, que se dera sem restrições, criando a expectativa de que também se podia envolver, sentir, chorar de prazer. Naquele jogo de toques quem iludia quem parecia não importar- haviam-se cruzado, comungaram do mesmo sortilégio, exteriorizaram em paralelo toda a força que cada um gozava e que se acumulava, escapando ambos como dois cavalos arredios, soltos por campos por mais ninguém conhecidos e com percursos incertos.

Sentiu uma vontade louca de fumar. Na pequena varanda deixou-se sentar no banco de jardim e por entre o afã que se vivia lá em baixo e a confusão que inundava a cabeça dela, em baforadas rápidas consumiu um cigarro sem piedade. Receava que ele aparecesse e a rodeasse, mais uma vez, de tudo o que lhe oferecia em cada novo instante, deixando-a como que vazia por não saber como corresponder, como se devia comportar, como transmitir um pouco de calor. Tamanha grandiosidade de afectos deixava-a paralisada.

Voltou a entrar e procurou as suas roupas. Sem fazer barulho, tomou um banho rápido e frio, torturando a derme com um bálsamo apaziguador. Já pronta para o embate do quotidiano, preparava-se para sair quando aquela proximidade a cercou e a ela se colou de modo dolente. Pressentia que podia desfalecer atordoada que estava por o sentir ali, naquele espaço que só a eles pertencia, que só a eles interessava.

Ceder implicava alienar-se da carapaça que criara para si. Resistir era perder a ternura daqueles olhos postos nela com tamanho significado. Lutava entre o que era e o que podia ser. Degladiava-se por entre certezas e emoções. Dividia-se entre ela e ele.

Um beijo apenas desequilibrou as forças. Um só sinal enredou-a nos braços dele, tendo-o permitido que a amparasse naquela onda de loucura. Sucumbiram uma outra vez, obrigando-a, por ora, a abandonar-se aquela sorte de sabores e gemidos sustidos por tantas dúvidas que a assolavam.

Silêncio a dois

 A um minuto da tua presença esquivei-me por entre labaredas que me levavam a desaparecer para longe. Longe demais para saber o nome, datas ou ter memórias.  Não te podia, no entanto, negar porque partilhávamos as mesmas esperanças vãs nestas quatro paredes que nos albergavam e ambos temíamos cada segundo que passava, receosos que o equilíbrio frágil que havíamos inventado sucumbisse ao peso do nosso passado, aos sonhos partidos de que nos havíamos alimentado.

A música soava baixinho da tua velhinha rádio, lias o jornal, enquanto eu tentava concentrar-me no livro, como se não estivessemos verdadeiramente ali, pois na realidade andávamos à deriva nos nossos próprios oceanos. Não consigo ainda perceber porque a solidão nos castiga mesmo quando partilhamos o mesmo espaço; será então preferível partir à descoberta do que há para lá de nós, buscar em outras estradas outros destinos incertos, que não nos matem lentamente perante aquilo que não vivemos apesar de o parecer?

Teria sido melhor que nunca me tivesses olhado como o fizeste da primeira vez, com aquele sorriso nervoso e expectante. Teria sido melhor que não me tivesses soprado ao ouvido toda a tua vida, não me tivesses feito sentir naturalmente parte dela, não me tivesses acolhido na tua pele que sussurrava o meu nome ao mínimo toque.

Agora, impera uma estranha espécie de código impenetrável, num avassalador desconhecimento, que no coloca frente  a frente mas distantes, para lá de uma qualquer fonte em que nos podíamos baptizar e redimir o passado e começar unidos. Porém, não o fazemos porque não temos passado. Não nos lembramos do que fomos porque começámos a existir naquele momento em que nos cruzámos. Mesmo assim, não é suficiente, nunca será suficiente na medida em que não temos poderes para abdicar, de sacrificar, de ceder. Somos egoístas, somos obcecados com a não intrusão nos nossos domínios. Temos medo, no fundo. Receamos, preferimos sofrer. 

Coisas sobre mim- V












Objecto de Desejo de um domingo abrasador

(dia de tripla neura: domingo, calor e mesmo muito calor...)


Marc Jacobs Bow Ring... LINDO!!!

sábado, 25 de junho de 2011

Coisas sobre mim- IV







Aviso à navegação

Não me venham perguntar se estou chateada, porque estou distante, porque posso estar ligeiramente lixada ou porque não devolvo chamadas ou sms ou emails. 

Fica já escrito, declarado, que estou a por em prática, e à séria, o credo do Mark Twain ... 

‎"Never allow someone to be your priority while allowing yourself to be their option."

Pra' fazer mal aqui a moi même, já basto eu. E eu tenho razões pra' isso. Não preciso de ajudas externas. 

Obrigada

A coisinha fresca do Verão?

Achavam que era o melão?

Nope. São estas calças, denominadas Culottes, da Zara.



Bendita compra. Frescas e confortáveis que são um mimo!!! 

Claro que não me ficam como está na foto e, sendo tamanho único, dão-me luta à séria para passarem pelo mega rabo e pelos troncos que são as minhas coxas. 

Se me ficam bem? Não. Se me adelgaçam a disforme figura? Não. Se me importa? Estou a borrifar-me. A bem da verdade, nada me fica bem e estas calcinhas têm o mérito de serem hiper-mega frescas.

Dado estar um calor tremendo, ninguém consegue manter uma conversa que não mencione a palavra praia, no mínimo, 250 vezes, e ainda faltar tanto tempo para o outono, aguente-se. 

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Coisas Sobre Mim - III












Nota da Autora: há coisas que podem estar "adormecidas" ou "mortas e enterradas" mas não deixam de ser eu...