Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Agosto, 2010

Chegou, chegou, chegou!

Já cá canta o 509 da Chanel. Sábado já brilharão as minhas belas unhas com o Paradoxal. Anseio pelo momento em que a minha Luciana vai pregar a primeira pincelada no dedo e exclamará "Minha nossa, olha que lindo!"
Toda a colecção de makeup é de ensandecer. A sombra Toupeira Cinza (toupe grisé para os finórios( é mesmo bonita bem como o rimmel roxo escuro. Ai ... Suspiro!
E mais novidades na frente fashion da vida...
Sabem quem é o Filipe Oliveira e Costa? É "só" o novo Director Criativo da Lacoste. Tomem lá, ó sr. Escargots, que aqui a Bifana tuga é de qualidade. Vem já láaquia Bio do senhor que manda no Crocodilo. Muito bom. 
Para finalizar sobre coisas na moda, não me ofereçam (porque sim, porque sou porreira, porque sou boa pessoa, porque faço anos, porque sou uma simpatia, porque é Natal) o livro Comer, Orar, Rezar que me dá fanico. Medo!

a ovelha negra dos Emmys

Não sou fã do Mad Men, não me identifico com a serie de paixão, critério para perder tempo a vê-la. 
Não acho piada nenhuma a Uma Família Moderna e fujo, desenfreadamente, do Glee. Alias qualquer coisa que meta musicais é meio caminho andado para me pôr a mudar de canal como doida. 
A minha onda é mais crimes e autópsias (CSI, Ossos, The Closer, Londres Distrito Criminal), mentes perversas (Mentes Criminosas, Damages) e barrigadas de riso com How I've met your mother, a Teoria do Big Bang ou o Entourage (deixemos o The City ou The RZ Project de fora que são um cruzamento de reality-entertainment com fashion wanna be in NYC).
Supostamente, tresmalhei do rebanho. Os meus "dislikes" são fora de moda. Ou raios, sobreviverei a ser a Ovelha Negra? 
Enquanto me preparo para ir ver os animais do Dia Seguinte, faço a minha declaração em 3 pontos: a) o Mad Men não me convence, Uma Família Moderna não me faz rir e assumo a minha não carneirada!; b) o Roberto continua a ser alvo a abate…

O maravilhoso mundo da vida a 2

O calor ajuda a baixar-me a já de si perene barreira da tolerância. Põe-me com os nervos em franja e o lado assassino anda mais à superfície. Nada de bom pode advir disto!
Claro que quando se partilha um espaço chamado vida com outra pessoa, há muita viola enfiada no saco. Nada de sapos que odeio ao ponto de os querer matar à pedrada. 
Mas se há coisa que estes 8, quase 9, anos de convivência amorosa me dão grande conforto para desabafar sem hesitações, é que para além do amor, do companheirismo, do sexo desenfreado, da confiança, 3 coisas são fundamentais para se sobreviver na selva da "conjugalidade":
1) Ter 2 casas de banho.  Não tenho. É uma grande merda.   Faz muita falta.  Desde logo, pela privacidade. Esses à vontades de um lavar os dentes enquanto o outro corta as unhas dos pés sentado na sanita... menos! Depois pela necessidade de espaço para as minhas coisinhas.  E há mais: não ter que regular, diariamente, como sai a água, do chuveiro; não ter que gramar com cabelos pret…

Goin' Chanel

À falta de uma boa esplanada com um café e boa conversa, daqui do sofá onde diariamente me sento a minha homenagem a uma mulher que aprendeu a só fazer o que queria e só depender de si!!! A minha modéstia vénia ...
























Socorro, casamento e sem nada pra' vestir

Em setembro vou a uma festa de casamento. Pânico Numero 1!
E vou ser Madrinha de boda. Pânico 2!
Desde que soube que ia haver festaça, suores frios, uma ansiedade daquelas e um medo enorme em entrar em lojas. 
Festa é uma coisa que me gera borbulhas tamanho os nervos. Socializar com outros, muitos deles estranhos, sem estar de calças de ganga e bailarinas, dá-me voltas à barriga. Geralmente, quando chega à hora da sair de casa, já estou mas é na cama, livre de chatices.  
Desta vez, porém, não posso falhar, sou Madrinha. Somos duas, de facto, se calhar ninguem daria pela minha falta. Mas é um risco alto para se correr. A nubente espeta-me com um dos seus saltos na cabeça e foi-se a minha vidinha.
O dress code é casual chic, nada elaborado nem muito casamenteiro porque ninguém gosta dessas coisas, é uma malta cool e vai ser tudo muito descontraído, muito reunião de amigos, mas raios, sou Madrinha, não posso ir propriamente como se fosse ao supermercado (nota; vou ao supermercado como saio à…

Diário de uma semana

Foi uma semana catita, bastante veraneante, apesar de estar trabalhar e não pôr pézinho na praia e, por tal, estar mais branca do que se tivesse encontrado aqueles pavorosos dos vampiros da saga irritante que não acaba nunca.
Mantenho-me nas dimensões de um Hummer, o que preconiza uma constância e coerência na minha vida, que não deixa de ser cruelmente interessante.
Começou a semana com mais uma maluqueira, daquelas que só eu. Nasci abençoada por ser pestanuda mas com umas pestanas louras. Então, nos próximos 3 a 4 meses, graças à Georgia, do santo Iunique, vou ter umas sedutoras longas pestanas negras, lindas de morrer, sem necessitar de diariamente fazer as figuras estranhas a colocar rimmel, de modo a que fique bem. Estou muito satisfeita com o resultado.
Depois continuou, coberta de mel e doçura derretida pela "sobrinha" Mini Diva, que é um bébé adorável, meiga, bem comportada e tão calma que dá vontade de a cobrir de beijos. Pronto, gosta de Lady Gaga mas com 6 meses, e a…

Pré-estágio para férias

Dia de Corte Inglés é dia santo. Adoro deambular sozinha pelo piso 0 entre cosmética, relógios e livros, canetas, cadernos. 
Hoje era dia de ir buscar o Dragon da Chanel mas depois de esperar que umas dondocas brasileiras revirassem o corner da Chanel como se fosse a despensa delas, acabei por decidir com o meu pragmatismo trazer o Fire que é mais exuberante.
Rumando às revistas, andei sempre a esquivar-me da horda de espanhóis que, tendo invadido Lisboa de vacaciones, acampam sempre no El Corte Inglés porque há poucos em Espanha e é assim sempre simpático ver como será um ECI em terras far, far away ... deverá ser certamente diferente. Benza-os sangria!
Sendo assim, o passeio até foi rápido mas tendo em atenção o abastecimento que fizera no fim de semana tenho muito com que me entreter antes de entrar DEFINITIVAMENTE de férias. 


"I DIE", RZ

NO SOFÁ:
eu estou a consumir com avidez o primeiro episódio da Série 3 da Rachel Zoe (nota mental: comprar a Harper's Bazaar com a sessão "I Die", coscuvilhar aqui), apanhado algures na Internet, sem legendas.
Ele sempre a interromper-me para eu comentar algo que NUNCA vi, o programa dos gordos que emagrecem (e se emagrecem, uns heróis!).
Mas o que raio não entendem eles? É a Rachel Zoe, 3ª Série. Vai estrear sabe-se lá quando na próxima década em Portugal! Foram 40 minutos. Porquê nesses 40 minutos tinha que dar eu atenção a mais alguém? Digam lá, vá!!!!
Os homens são mesmo egoístas... não bastava estar ali na sala, ao lado dele, a fazer-lhe companhia, à espera de umas massagens meigas nos pés (que não aconteceram!)
Meninos, aprendam ... por muito que vos amemos... Don't messwithRZ

Breakfast with Body Balance (não soa bem, pois não?)

Ora, cada um sabe de si e procura o equilíbrio onde quer.

A pulseirinha ate é catita e tal, em branco até passa bem por pulseira de praia, daquelas das modas estivais (há dois anos haviam umas das Havaianas bem giras, a condizer com chinela e bikini) mas são caras (o que, diga-se, atesta o desequilíbrio de quem as compra). Para mais, o Cristiano Ronaldo usa uma. Só por si, mega argumento para fugir. Imagino a banalização que isto vai ser.
Sejamos realistas, acreditar no poder holistico da coisa é tão estranho como acreditar que o Pongolle é um bom jogador.
Hoje, tal como no passado, as pessoas ou querem estar na moda (e usar o que milhares de outros usam porque isso confere sentido de pertença, por mais disparatado que seja o elo em comum) ou querem acreditar num totem que as vai ajudar a ser melhor ou a sentirem-se melhor.
Eu compreendo. 
Eu própria, com a mania das grandezas que me caracteriza, adorava que existisse um comprimido, uma bracelete, um fio, uma bandolete ou um piercing, que …

Sempre com o mecanismo em Modo ON

Eu continuo a achar que é um dom - encostar a cabeça seja a que hora seja, adormecer e não acordar nem que me caia um comboio em cima. Uma forma de arte que aprimorei ao nível pleno. 
Aparentemente, o meu cérebro é feito de material isolante.
Daí talvez ser tão esperta! E de dormir tanto...

Segundo a Sábado, Um estudo publicado no jornal científico "CurrentBiology" descobriu a explicação para algumas pessoas terem o sono mais pesado do que outras. A razão é o facto de terem um auto-mecanismo no cérebro que lhes permite bloquear o barulho exterior. E por isso têm menos tendência a acordar.


O médico JeffreiEllenbogen, professor assistente na Escola Neurológica de Harvard (Estados Unidos), explicou que "algumas pessoas têm um mecanismo que lhes permite reduzir o impacto do barulho, conseguindo continuar a dormir em condições adversas".

coisas que me tiram do sério!

Rock.In-Rio em Elvas

Já passou quase um mês mas sempre que pegava no tema para o trazer à vida em formato de post, dava-me vontade de não o escrever. O tema irrita-me, mesmo!
Então, pois, passou-se assim. A 17 de Julho deste ano houve hiper mega chique casório em Elvas. Até saiu na Caras Brasil (chique a valer!)
Eu até nutria alguma simpatia pelo galã de telenovelas Ricardo Pereira; o protótipo filho que todas as mães queriam ter, o neto desejado por todas as avós, o amigo que qualquer possa pessoa quer ter, o namorado aspiracional de todas as adolescentes, o amante com quem todas as mulheres querem dormir.
Ora o belo moço casou com a menina "bem" de Cascais, Estoril ou da Parede (às vezes... nunca se sabe!). Como a tradição exige, foi boda super fina, com vestido de branco, do melhor estilista que há, com festa na herdade da família, no Alentejo (chique a valer!). Convidam-se o 400 amigos mais próximos dos noivos, desde da rádio, TV e cassete pirata, a figuras do social, pessoas da banca, tudo upa…

conselhos à borla!

Uma pessoa passeia pra' trás e pra' frente na Fnac e na Bertrand (sim, porque a Fnac tem lá muito empregado que bem precisava de aprender a atender ao publico) e dá nisto.
Há pra' todos gostos. 
O intelectual, os feministas, o romântico e a colecção de policial / ciência politica / relações internacionais. 
Sou uma gaja ecléctica. Desde que não seja nem o "enche chouriços de chorar a calçada" Nicholas Sparks, nem  "mete nojo narcisista centrado em mulheres vazios de conteúdo" da Margarida Rebelo Pinto, nem aquela italiana Sveda não sei quantas, aqui a je lê de tudo. 
Qual é o interesse de ser-se monótono e fechado ao mundo?

duvidas existenciais de inicio de Agosto

Toda a próxima semana vou concentrar os meus esforços em encontrar respostas. 
1º pessoas que não são bem educadas nos elevadores. Porquê? O que custa dizer "bom dia" quando entram? Ou responder quando alguém dá uma saudação? O que é que se passa com estas pessoas? Mínimo de educação, ó gente! A vida custa a todos, cai-vos a língua sendo simpáticos numa interacção social tão básica? 
2º porque é tão difícil encontrar VitaminWater
3º como é que ninguém nunca achou o Rei dos Gnomos uma figura, no mínimo, estranha? Numa localidade com poucas pessoas, a casinha estilo possuídos pelo Demo, e o vai e vem de jovens, não tocou a campainha de ninguém?
4º porque raio a Zara decidiu baixar consideravelmente os tamanhos? Perder clientes? Fazer-nos emagrecer até à anorexia?
5º as salas de cinema estranham perder "clientes"... já viram os preços que praticam? Hello! São um roubo!!!
6º onde andam os gravadores que o "alegado" deputado Ricardo Rodrigues GAMOU aos jornalistas…