domingo, 16 de fevereiro de 2014

Amigos, conhecidos, estranhos, médicos, terapeutas de todas as espécies, gurus da blogosfera com livros no prelo, todos resulta fácil dizer que temos que ser fortes, "no matter what", como se em momento algum pudéssemos ter momentos de dúvida, de exaustão, de "não quero saber". 

Não, temos que aguentar, pensar sempre mas sempre positivo para atrair energias positivas, como se vivêssemos num grande detox emocional perpétuo, eliminando aquilo que assusta os outros sejam gorduras corporais quer sejam quilos de más vibrações. Comam gojis, mirtilos, brócolos em sumo, nada de hidratos, corram quilómetros por dia, sejam saudáveis fisicamente a olho nu e na vida que supostamente devem ter. Preocupem-se com o colégio das crianças, com os baby showers, com a vida social dos pequenos sub 5, em estarem em forma para não envergonharem a vossa cara metade quando chegar a bikini season.  Caso contrário, o mundo não está preparado para vos acolher. 

Por muito terapêutico que o optimismo possa ser, a falta de esperança muitas vezes assume contornos sem cor, sem cheiro, sem nome, sem dor palpável. Só sabemos que há confortos que não voltaremos a sentir. Que um dia a seguir ao outro é isso mesmo. Não há força que valha nesses momentos. 

2 comentários:

Pedro Almeida disse...

O Benfica ganhou...

Beijo :-)

A Mais Picante disse...

Por vezes temos de chorar até lavar a alma. E depois levantamo-nos e continuamos a andar, um pé à frente do outro, até conseguirmos correr novamente. Vou usar um chavão mas há sempre uma janela, só temos de a encontrar e abrir.
Que se lixem os gojis. Beijinho.