segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Das rejeições

Uma pessoa podia dizer que tenta dar o benefício da dúvida. Seria uma insincera afirmação, coisa que não faz bem o meu estilo, mas enquanto se cá anda também não se perde por ali acreditar que algures alguém faz alguma coisa de jeito. Caramba, UMA que seja. 

Mas os divórcios não acontecem só com pessoas, os afectos também se perdem com as referências espacio-culturais. Tenho um profundo desencaixe com este país, admito que será um problema meu e dai que estar aqui é já só algo passageiro. 

Quando Cristina Ferreira é uma das novas embaixadoras de uma iniciativa/ programa do Ministério da Economia apropriadamente denominado "Portugal Sou Eu", destinado a promover a excelência dos produtos nacionais, sinto uma espécie de calafrio de rejeição. Como se fosse um coice, vá. 

Não estou a questionar a iniciativa, nem os seus méritos, nem se faz algum sentido, porque não conheço, e a bem da verdade, assim sendo nem vou aprofundar. Basta associar Cristina Ferreira e a frase "Portugal Sou Eu"... Pois que não. Não quero ser deste pais. Também não quero medalhas nem condecorações, portanto fiquem lá com a Tininha. 

2 comentários:

Pedro Almeida disse...

Porque anda tão triste amiga Mónica?

Tome lá uma cantiga bonita
https://www.youtube.com/watch?v=EEPa7GOCatA

Espero que a aprecie mais do que outra pessoa que disse que era música de elevador :-)

Mónica disse...

Amigo Pedro, obrigadissíma pela trova tão catita. Como o meu elevador bomba RFM, é um claro upgrade! E desengane-se, a Tininha não me deixa triste. Deuses, que seria! Despertar-me instintos agressivos? Sim! De facto! Tristeza, não