quinta-feira, 29 de abril de 2010

"Como um barquinho de papel...que largo no mar.../ Vai(vou)sem destino /Sem direcção"


A minha terapeuta acha que, quanto muito, posso ser um barco à deriva, mas quase nada fora de rota...

Mais uma vez, a minha proverbial sapiência conseguiu, euzinha, ir mais além neste processo de auto-conhecimento.

É claro como água que eu sou o Tolan dos tempos modernos.

Para a geração dos sub 30, o Tolan era era um porta-contentores Inglês, que se afundou a 16 de Fevereiro de 1980, após ter colidido com o cargueiro Sueco Baranduna no rio Tejo. Após várias tentativas, foi finalmente voltado e afastado do Terreiro do Paço a 2 de Dezembro de 1983.

Ou seja, eu sou um navio grande, virado do avesso e preso a este estado de coisas.

me faltam as romarias de visita como acontecia ao Tolan, marco histórico do inicio dos anos 80 (a vida por cá não era grande coisa, assim meio provinciana).

Por este caminho encontro o meu destino profissional: abro um consultório de psicologia desnorteada. Ou ensino como afastar as gaivotas com mestria.


2 comentários:

Anónimo disse...

Uma questão coloca-se...Também foste abalroada por um Sueco???

PM

monica disse...

matts magnusson, versao XXL