Avançar para o conteúdo principal

Outubro - Mês da Prevenção Cancro Contra a Mama III


Hoje tive a oportunidade de estar com duas mulheres, lindas, bem dispostas, e cheias de força, que um ano depois estão agarradas à vida e deram um pontapé no cancro.

Não estão curadas, mas não desistiram, não desanimaram e são uma lição sem sequer se esforçarem. Apenas pelo seu GRANDE sorriso. 






FACTOS SOBRE CANCRO DA MAMA


-        De acordo com os últimos dados disponíveis, o cancro da mama é a doença mais diagnosticada em mulheres. Em 2008, estima-se que em 1.38 milhões de mulheres, em todo o mundo, foi diagnosticado cancro da mama pela primeira vez.1

O Cancro da Mama é o cancro mais comum entre as mulheres, excluindo o cancro de pele. A probabilidade de a uma mulher ser diagnosticado cancro da mama durante a sua vida é de 1 em 8. 2

-       - Muito embora as mulheres corram um risco maior, aproximadamente 1% de todos os cancros da mama ocorridos nos EUA são diagnosticados em homens;

-        - Estima-se que 5% a 10% de todos os cancros da mama tenham uma predisposição genética.4

-        - Para uma mulher sem sintomas e sem antecedentes, que esteja na casa dos 20 e dos 30 anos, recomenda-se que faça um exame clínico dos seios, como parte de um check-up de saúde normal. Para mulheres com 40 anos ou mais, o exame clínico pode ser um complemento importante de uma mamografia. 5

-        - Mulheres com 40 anos ou mais devem fazer mamografias. As mamografias podem não detectar todos os tumores, mas continuam a ser um método muito eficaz para detectar cancro na mama.6

-        - Em 2012, a American Cancer Society estima que 226,870 novos casos de cancro da mama invasivo tenham sido diagnosticados em mulheres nos EUA, resultando em 39,510 mortes. 7

-        - O National Cancer Institute estima que aproximadamente 2.6 milhões de mulheres americanas com um historial de cancro da mama estavam vivas em Janeiro de 2008 – mais de metade do número de mulheres a quem foi diagnosticada a doença nos dez anos anteriores.8





FAÇA ISTO POR SI E POR AQUELES QUE AMA

Algumas mudanças no seu estilo de vida e consultas médicas regulares podem fazer toda a diferença. O Cancro da Mama é mais tratável num estado inicial. A detecção precoce salva vidas.


Conheça o seu corpo
Examine os seus seios regularmente e comunique qualquer alteração ao seu médico.

Faça Exames
-        Tenha consultas médicas regulares. Se estiver na casa dos 20 ou dos 30 anos, peça ao seu médico para fazer um exame clínico aos seus seios, durante a consulta;
-       Se tem 40 anos ou mais, faça uma mamografia anual; se é uma pessoa com um historial de risco, faça este exame mais cedo.

Mantenha-se em Forma
-        Coma vegetais e fruta. As suas fibras, anti-oxidantes e outros nutrientes podem ajudar;
-        Mantenha um peso saudável. Peso extra significa Risco extra;
-        Modere o consumo de álcool e brinde a uma vida mais saudável!
-        Não fume; se fuma, desista agora;
-        Faça exercício físico. Para reduzir o risco de cancro da mama, a American Cancer Society recomenda 45 a 60 minutos de actividade física, 5 ou mais dias por semana.




1 Fonte: International Agency for Research on Cancer/World Health Organization (http://globocan.iarc.fr/factsheets/cancers/breast.asp)
2-8 Fonte: American Cancer Society (www.cancer.org)
Para mais informações visite  American Cancer Society at www.cancer.org



Informação gentilmente cedida pela Estée Lauder Companies.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

gaja à beira da loucura

Isto pode paracer a demência absoluta mas já estou por tudo. A Alexandra Solnado (isso mesmo, este post vai por esse caminho...) dizia numa entrevista, há umas semanas, ao promover o seu mais recente "livro" que a maioria das pessoas que lhe aparecem para consultas, são pessoas doentes - jura?!
Agora, a sério, as pessoas padecem de doenças fisicas e, no seu desespero, que nem é discutivel porque cada um saberá o que se sente quando se chega a esse patamar, procuram ajuda ou conforto no projecto da Alexandra Solnado (é assim que se chama). Posto isto, explicava a Alexandra Solnado que as doenças são, não obstante, reflexos de outros problemas mais antigos ou e a outros níveis. Não me recordo dos exemplos que ela dava mas era algo como pessoas que tinham tido muitos desgostos e uma vida marcada pela tristeza, desenvolviam uma doença grave em especifico, localizada numa área do corpo em particular. 
Ora, e dando o beneficio da duvida a esta teoria (pois que temos a perder?), gosta…

Inesperadamente, a semana passada

Uns dias bons.
O  25 de Abril. Comer caracóis, os primeiros deste ano. Passear e trabalhar no Porto, deambular nos Clérigos. Diariamente, sessões de The Newsroom e Melhor do Que Falecer. O Pedro Mexia e os ferrinhos na emissão especial do Governo Sombra (e a banda sonora e a Manuela Azevedo e as citações certeiras de Salazar bem seleccionadas por Ricardo Araujo Pereira). O Benfica, tão grande! Opá, o Benfica ❤️

A importância de se chamar Candidato

Numa altura em que as empresas recorrem cada vez mais às redes sociais para procurar candidatos a postos de trabalho (89%) e que 65% por cento é bem-sucedida, conseguindo contratações satisfatórias (Fonte: PR Comunicácion) convinha que as empresas de recrutamento e de executive search pensassem um bocadinho mais sobre o seu modus operandi.


Falo por experiência, por conhecimento e por não ter conseguido efectivar mudanças. 

O headhunter da velha guarda, armado em doutrina maquiavélica, que nunca leu, perspectiva o candidato como um meio para atingir um fim: facturar.  O candidato só serve enquanto servir os interesses do projecto. A satisfação do cliente é posta à frente de tudo e todos. Esta sobranceira linha de raciocínio,  a frio, tem alguma razão de ser. Quem paga as contas são os clientes. Como metodologia, é um erro crasso.
Num mercado concorrencial, um factor claramente diferenciador é a relação que se estabelece entre um consultor e os seus candidatos, pelo menos com aqueles que a…