Avançar para o conteúdo principal

All we need is a bra...

Desde tempos remotos, sou louca por lingerie. Ainda me lembro do 1º soutien lindo, azul bébé.

Como fanática, desconfio de 2 tipos de pessoas: 1) as senhoras gajas que não ligam nenhuma à roupa interior (e já não falo das que não usam!) e combinam soutien preto com cuecas violeta com flores amarelas (PAVOR); 2) homens que não oferecem lingerie, porque não sabem escolher, não percebem tamanhos ou ignoram a importância deste item, esquecendo-se que antes de 1 soutien saltar, esteve naquele corpo, portanto é mt importante para a dona do corpo em questão.

No 1º caso, meninas ... a lingerie é a coisa mais próxima do vosso ser. Ainda que deva ser confortável, tem que ser gira. Não precisa de ser Agent Provocateur; ou estilo prostituta francesa do inicio do século XX mas que seja ... gira! Arranjadinha e limpa, não é suficiente. GIRA. Não por quem venha a vê-la, mas por vaidade pessoal.
No 2º caso, um homem que não compra / oferece lingerie é um homem sem sensibilidade. Ponto.
Para resolver este drama, imaginem onde vou estar 2ª feira mal saia do sitio a que podemos chamar "trabalho"??? http://damadecopas.pt/
Vi na Time Out e acho que vai ser a pura da loucura. Não só há uma casa mobilada com lingerie como me vão ajudar a descobrir qual, de facto, é o melhor soutien pra moi même.
Soando a imensamente fútil (e sendo-me exactamente igual, ou seja, who cares?!), depois da ida ao cabeleireiro, esta antecipação de uma sensação de empowerment é um brutal KIKA *
*(kick in the ass, como diria a tonta da Professora de RH, a pior das professoras que já tive e que deve usar a mais pavorosa das lingeries por baixo do vestido de Alice no Pais das Maravilhas que ela utiliza nas acções de motivação e change management das empresas que a contratam... o ISCTE tem destas coisas. Tão fraquinha aquela senhora).
Pressupondo que o meu dia vai ser uma amostra de stress e raiva, parece-me lindamente descomprimir no meio da beleza e da leveza do toque dos tecidos. Depois dou o meu parecer.
De qualquer, já sabem, não há desculpa. Nem para gajas, nem para gajos. E há vales de oferta. MARAVILHA.
Bom fim de semana
ASS: Gaja em êxtase!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

gaja à beira da loucura

Isto pode paracer a demência absoluta mas já estou por tudo. A Alexandra Solnado (isso mesmo, este post vai por esse caminho...) dizia numa entrevista, há umas semanas, ao promover o seu mais recente "livro" que a maioria das pessoas que lhe aparecem para consultas, são pessoas doentes - jura?!
Agora, a sério, as pessoas padecem de doenças fisicas e, no seu desespero, que nem é discutivel porque cada um saberá o que se sente quando se chega a esse patamar, procuram ajuda ou conforto no projecto da Alexandra Solnado (é assim que se chama). Posto isto, explicava a Alexandra Solnado que as doenças são, não obstante, reflexos de outros problemas mais antigos ou e a outros níveis. Não me recordo dos exemplos que ela dava mas era algo como pessoas que tinham tido muitos desgostos e uma vida marcada pela tristeza, desenvolviam uma doença grave em especifico, localizada numa área do corpo em particular. 
Ora, e dando o beneficio da duvida a esta teoria (pois que temos a perder?), gosta…

Inesperadamente, a semana passada

Uns dias bons.
O  25 de Abril. Comer caracóis, os primeiros deste ano. Passear e trabalhar no Porto, deambular nos Clérigos. Diariamente, sessões de The Newsroom e Melhor do Que Falecer. O Pedro Mexia e os ferrinhos na emissão especial do Governo Sombra (e a banda sonora e a Manuela Azevedo e as citações certeiras de Salazar bem seleccionadas por Ricardo Araujo Pereira). O Benfica, tão grande! Opá, o Benfica ❤️

Organismos Unicelulares ...

"alimentam-se" de pequenos prazeres (no pouco tempo) quando não estão a trabalhar (como é o caso!).





Filme para incomodar, para gerar desconforto, que nos deixa sem conseguir estar sentados. Um filme que não é para quem não se gosta de ver ao "espelho".  A ultima cena, explica tudo. 


Por fim, TV Cine Séries. YES!



National Geographic, às 2ª F

A rever. O Original. Só este interessa. 



De volta. Gente estranha. Dia 25!