quinta-feira, 21 de junho de 2012

indeed

Numa época em que está instalada uma desconfiança generalizada face a pessoas e os afectos se contraem*, de facto os livros, não sendo substitutos vivos, são uma grande "paz".









*na minha pessoa, claro está!

Sem comentários: