quarta-feira, 30 de junho de 2010

Ah, agora é que ele assim, assado e coiso e tal?

Como agora todos criticam o puto maravilha ate escuso de recapitular o que penso do prodígio das manobras circenses.

Vou ser realista: não creio que a culpa do afundanço dos navegantes seja dele. Por lhe porem às costas o peso de 15 milhões de diáspora tuga é injusto. Uma equipa de futebol joga em equipa não joga em função de ou com um elemento. Se alguém não percebeu isto e não soube desenhar uma estratégia, a culpa será de quem tem essa responsabilidade.

Posto isto, o moço é prova provada de que os heróis fabricam-se e que talento não chega para tapar sempre o sol com a peneira: podem idealizar a ascensão do jovem humilde que chegou ao topo com o fenómeno democrático do futebol, mas a verdade é que onde falta a educação de base, a vaidade, a arrogância e o mau perder mostram o barro de má qualidade de que se é feito.

Neste caso, lodo.

Quando o dinheiro serve para a opulência e em nada para desenvolver a formação pessoal, um dia o verniz do marketing estala. E o mundo espanta-se. O que vale é que basta ao jeitoso fazer uma ou duas exibições boas e tudo se lhe é perdoado e ele volta a ser o príncipe das chuteiras deste país. As massas são uma coisa lixada.

Sem comentários: