Avançar para o conteúdo principal

o fim de um mito urbano

Nunca tinha ido às Maria's, uma loja de roupa na Rua Augusta, várias vezes mencionada por vestir pseudo VIPS desta modesta praça do miserabilista socialite croquetiano,

A opinião não era má. Havia sempre algum modelito engraçado. Conhecia pessoas que iam lá comprar fatiotas para bodas e falavam d' As Maria's como se fosse algo trendy-chic, um segredo bem guardado com peças giras e fora de vulgar.

Hoje fui lá com uma amiga, que comprou um vestido verdadeiramente catita (e que lhe fica de estalo, chique a valer!), e ... decepção. Parece a Feira. É uma loja de bairro muito cheia, com vestidos amontoados, sapatos pavorosos e acessórios de fugir.

De facto, foi um processo de "é isto?". Bolas, que coisinha mais possidónia. O grande atractivo é encontrar-se, pelo meio da tralha, vestidos engraçados e a preços muito acessíveis. Isto é uma mega mais-valia, sem duvida. Mas dai a quererem nos fazer crer que as Maria's são a Caverna do Ali Babá da sofisticação vai um diferencial elevado ao expoente máximo. 

A grande maioria das peças abundam nos folhecos e nos trabalhados e nos tecidos brilhantes daqueles azuis muito Princesa Madalena da Suécia ou uns fuchsias de fugir. E os modelos são quase sempre o mesmo com variantes, umas resultam, outras nem por isso.

O target parece ser mesmo o hiper profile ostensivo das Cinhas ou o estilo filha-de-construtor daquela rapariga que funciona como 2º capacete do Pedro Reis (a.k.a, aquele gajo que vai alimentar-se a TUDO o que é festa e não faz nada na vida, o que em si é um mérito... Parasita, mas ao seu estilo, um tuga bem sucedido!), ambas que recorrentemente aparecem orgulhosamente com os seus Maria's (pudera, são low cost!).

Não quero ser mazinha, as pessoas até eram simpáticas (apesar de melgas no cross selling), inclusive a senhora com o cachecol de Portugal agarrado à cintura (aí está o nível de sofisticação da coisa), mas andei a ser enganada. 

Só não percebo porque raio quem lá vai não se remete a dizer que é um sitio com oferta diversificada e a preços acessíveis. Ponto. Fazer publicidade enganosa, é para se auto-convencerem, não é amiguinhas?

Passado o choque, quando precisar de um vestido de boda (em universos paralelos, porque agora só divórcios... casórios está escasso com a graça da santa!), irei às Maria's. Sem fingir que estou a ir à Fashion Clinic.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Do arrebatamento

O vestido caiu facilmente. Estava apenas preso pelas alças nos ombros magros e deslizou com vontade declarada pelo corpo, até ao chão, enquanto ela acendia uma única luz de presença.

Beijou-lhe o ventre. Sentiu-o a tremer. Antecipação. Expectativa. Sentia-lhe o calor sem sequer tocar. Era como uma fonte inesgotável de desejo prestes a desmoronar-se com um toque. Os dedos enfiaram-se entre a pele e a linha das cuecas de renda fazendo-as sair com mestria. Estava liberta, da máscara de tecidos, não das demais camadas de protecção. Tal não a impedia de arfar baixinho e com satisfação sob um rosto que perdia vergonha a cada caída da cabeça para trás.


Nua, encostada à parede fria, costas arqueadas, totalmente exposta viu-a a desmontar-se com cuidado ao primeiro beijo que se colou à boca como dali não houvera saída. Era intenso, forte, penetrante o modo como ela o arrastava para si com a língua e uma perna em torno da cintura.


Todo aquele momento era primário, selvagem, sem travões ainda que, e…

I shine

Kiss me before you break my heart. There is still room to be damaged for every breath I take on myself and for myself. I regain confidence on me on every touch of you, even those that will be lost. 
The shivers running down on my spine awaken me and allow me to make you feel stronger, bolder, in love with life. 
I expand my senses while you will torn my world apart. We are under the same sky but I am meant to be a trail of light rather than a guiding star. 
I will burn your soul and you will break my heart. Yet I shine. So, kiss me and let's pretend.

Da alegria

Gosto desses olhos que se iluminam e que pausam em mim como se nada mais existisse naquele longo momento. Esse olhar decidido, seguro, revelador de um modo de estar ciente do que se quer e descomplicado.
Fazes-me rir. Como se o mundo fosse fácil. Como se salvar-me das trevas não fosse uma missão mas sim manter-me saciada, livre, às gargalhadas, serena e em silencio, a ler com as pernas esticadas sobre ti.

Gosto das madrugadas de surf, mesmo ao frio. Dos beijos salgados e daquele teu cheiro misturado com água gelada. O cheiro que ainda hoje me faz ficar apreensiva, receosa, quando acordo a meio da noite e te ouço a respirar devagarinho e aquele cheiro está encostado a mim. E como aquele cheiro me apareceu e inundou de alegria.