sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Das coisas que importam

Hoje devias cá estar

Para me aninhar nos teus braços e me fazeres rir.

Para me dizeres que vai ficar tudo bem. Que vou sobreviver. E, sim, de ti, acreditaria.

Fazes-me falta. A cada ano que passa, fazes-me mais falta. Atenua a dor, mas a ausência custa mais.

2 comentários:

Lúcia disse...

Às vezes custa e muito, mas sim sobrevivemos. Força!
Bom ano de 2012

Anónimo disse...

Se continuar a viver na tua memória e recordações é sinal de que nunca partiu.
bj