Avançar para o conteúdo principal

Devaneios de uma tarde de Verão sem Sol (ou Silly Season III)

Ora como está uma treta de tempo, e já quase não tenho livros para ler, vamos a umas ultimas considerações veraneantes:

1) Sábado passado, 4 alfacinhas sob Sol quente alentejano às 2 da tarde procuram um restaurante. Perdidos e fartos do bafo irrespirável, ao passar por um posto da GNR, alguem se lembra de entrar e pedir indicações. Estava fechado. Não fechado, tipo com as portadas de madeira encerradas como se tivesse desactivado. Fechado, tipo “vou ali tirar uma sesta já venho”. Esse tipo de fechado. Fechado, “Fomos de férias”. Salvou-nos o senhor da Rede Expressos, que estava a funcionar.

2) O Hulk não fez falta (pois sim, foi sem intenção atirar-se assim com os dois troncos ao outro moço detentor do esférico) e o Miguel Veloso renasceu (as coisas em que as pessoas acreditam, valha-me Santa Prada).

3) Há um 007 na Presidencia da Republica, não ao serviço da M., mas do S., esse malfeitor herdeiro do Goldfinger. Quer dizer, como em quase tudo em Portugal, há um boato atirado ao ar de um putativo assessor do Sr. Silva que acusa um tipo qualquer do PS, proximo do Sr. Socrates, que de espião tem tudo a ver. Por comportamentos estranhos numa viagem ... o quê, roubou a sobremesa da TAP? Meteu-se com a hospedeira? Fez-se à Srª Silva? Sonegou um dossier de suma importancia sobre vum decreto que seguramente o PR iria vetar de qualquer maneira? O PR não diz nada, com aquele seu ar enigmático (a chamada cara de parvo), o PM acusa a silly season... Mas explicações nem vê-las... é o sistema, como na bola! Sabem que mais, voto em branco e mái nada

4) A barriguita de diletante do Paulinho das Feiras. Tanta jola e bifana deu no que deu...

5) O Adriano lembrar-se-á de alguma coisa que ameaçou contar, depois do enxerto que levou (quem o manda ir a uma discoteca... em Vila do Conde, carago?). Não acham emocionante mais uma destemida aventura dos Super Dragões, esse esquadrão intrépido e defensor das Antas? Carago!

6) Depois da morte de um numero consideravel de pessoas pela queda da arriba em Albufeira, apesar dos avisos já lá estarem, ontem nos telejornais foram entrevistadas pessoas que estavam... no mesmo sitio!!! À sombra... Dizia uma alma inteligente como cornos, que qual seria a probabilidade de voltar acontecer no mesmo ano, quanto mais na mesma semana!!!! Ok, há gente mesmo burra.

Tive vergonha de ser do mesmo pais do que daquelas pessoas. Apesar de ninguem ser isento de culpa, os primeiros a quinar já por si estavam claramente a pôr-se em perigo... estes e outros que diariamente se põem á “sombrinha” como diziam, são gente mesmo deficiente, como diria uma amiga minha.

7) Alguém percebeu alguma coisa do discurso do AJJ no Porto Santo?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da alegria

Gosto desses olhos que se iluminam e que pausam em mim como se nada mais existisse naquele longo momento. Esse olhar decidido, seguro, revelador de um modo de estar ciente do que se quer e descomplicado.
Fazes-me rir. Como se o mundo fosse fácil. Como se salvar-me das trevas não fosse uma missão mas sim manter-me saciada, livre, às gargalhadas, serena e em silencio, a ler com as pernas esticadas sobre ti.

Gosto das madrugadas de surf, mesmo ao frio. Dos beijos salgados e daquele teu cheiro misturado com água gelada. O cheiro que ainda hoje me faz ficar apreensiva, receosa, quando acordo a meio da noite e te ouço a respirar devagarinho e aquele cheiro está encostado a mim. E como aquele cheiro me apareceu e inundou de alegria.

A importância de se chamar Candidato

Numa altura em que as empresas recorrem cada vez mais às redes sociais para procurar candidatos a postos de trabalho (89%) e que 65% por cento é bem-sucedida, conseguindo contratações satisfatórias (Fonte: PR Comunicácion) convinha que as empresas de recrutamento e de executive search pensassem um bocadinho mais sobre o seu modus operandi.


Falo por experiência, por conhecimento e por não ter conseguido efectivar mudanças. 

O headhunter da velha guarda, armado em doutrina maquiavélica, que nunca leu, perspectiva o candidato como um meio para atingir um fim: facturar.  O candidato só serve enquanto servir os interesses do projecto. A satisfação do cliente é posta à frente de tudo e todos. Esta sobranceira linha de raciocínio,  a frio, tem alguma razão de ser. Quem paga as contas são os clientes. Como metodologia, é um erro crasso.
Num mercado concorrencial, um factor claramente diferenciador é a relação que se estabelece entre um consultor e os seus candidatos, pelo menos com aqueles que a…

I shine

Kiss me before you break my heart. There is still room to be damaged for every breath I take on myself and for myself. I regain confidence on me on every touch of you, even those that will be lost. 
The shivers running down on my spine awaken me and allow me to make you feel stronger, bolder, in love with life. 
I expand my senses while you will torn my world apart. We are under the same sky but I am meant to be a trail of light rather than a guiding star. 
I will burn your soul and you will break my heart. Yet I shine. So, kiss me and let's pretend.