Avançar para o conteúdo principal

Devaneios de uma tarde de Verão sem Sol (ou Silly Season III)

Ora como está uma treta de tempo, e já quase não tenho livros para ler, vamos a umas ultimas considerações veraneantes:

1) Sábado passado, 4 alfacinhas sob Sol quente alentejano às 2 da tarde procuram um restaurante. Perdidos e fartos do bafo irrespirável, ao passar por um posto da GNR, alguem se lembra de entrar e pedir indicações. Estava fechado. Não fechado, tipo com as portadas de madeira encerradas como se tivesse desactivado. Fechado, tipo “vou ali tirar uma sesta já venho”. Esse tipo de fechado. Fechado, “Fomos de férias”. Salvou-nos o senhor da Rede Expressos, que estava a funcionar.

2) O Hulk não fez falta (pois sim, foi sem intenção atirar-se assim com os dois troncos ao outro moço detentor do esférico) e o Miguel Veloso renasceu (as coisas em que as pessoas acreditam, valha-me Santa Prada).

3) Há um 007 na Presidencia da Republica, não ao serviço da M., mas do S., esse malfeitor herdeiro do Goldfinger. Quer dizer, como em quase tudo em Portugal, há um boato atirado ao ar de um putativo assessor do Sr. Silva que acusa um tipo qualquer do PS, proximo do Sr. Socrates, que de espião tem tudo a ver. Por comportamentos estranhos numa viagem ... o quê, roubou a sobremesa da TAP? Meteu-se com a hospedeira? Fez-se à Srª Silva? Sonegou um dossier de suma importancia sobre vum decreto que seguramente o PR iria vetar de qualquer maneira? O PR não diz nada, com aquele seu ar enigmático (a chamada cara de parvo), o PM acusa a silly season... Mas explicações nem vê-las... é o sistema, como na bola! Sabem que mais, voto em branco e mái nada

4) A barriguita de diletante do Paulinho das Feiras. Tanta jola e bifana deu no que deu...

5) O Adriano lembrar-se-á de alguma coisa que ameaçou contar, depois do enxerto que levou (quem o manda ir a uma discoteca... em Vila do Conde, carago?). Não acham emocionante mais uma destemida aventura dos Super Dragões, esse esquadrão intrépido e defensor das Antas? Carago!

6) Depois da morte de um numero consideravel de pessoas pela queda da arriba em Albufeira, apesar dos avisos já lá estarem, ontem nos telejornais foram entrevistadas pessoas que estavam... no mesmo sitio!!! À sombra... Dizia uma alma inteligente como cornos, que qual seria a probabilidade de voltar acontecer no mesmo ano, quanto mais na mesma semana!!!! Ok, há gente mesmo burra.

Tive vergonha de ser do mesmo pais do que daquelas pessoas. Apesar de ninguem ser isento de culpa, os primeiros a quinar já por si estavam claramente a pôr-se em perigo... estes e outros que diariamente se põem á “sombrinha” como diziam, são gente mesmo deficiente, como diria uma amiga minha.

7) Alguém percebeu alguma coisa do discurso do AJJ no Porto Santo?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

gaja à beira da loucura

Isto pode paracer a demência absoluta mas já estou por tudo. A Alexandra Solnado (isso mesmo, este post vai por esse caminho...) dizia numa entrevista, há umas semanas, ao promover o seu mais recente "livro" que a maioria das pessoas que lhe aparecem para consultas, são pessoas doentes - jura?!
Agora, a sério, as pessoas padecem de doenças fisicas e, no seu desespero, que nem é discutivel porque cada um saberá o que se sente quando se chega a esse patamar, procuram ajuda ou conforto no projecto da Alexandra Solnado (é assim que se chama). Posto isto, explicava a Alexandra Solnado que as doenças são, não obstante, reflexos de outros problemas mais antigos ou e a outros níveis. Não me recordo dos exemplos que ela dava mas era algo como pessoas que tinham tido muitos desgostos e uma vida marcada pela tristeza, desenvolviam uma doença grave em especifico, localizada numa área do corpo em particular. 
Ora, e dando o beneficio da duvida a esta teoria (pois que temos a perder?), gosta…

Inesperadamente, a semana passada

Uns dias bons.
O  25 de Abril. Comer caracóis, os primeiros deste ano. Passear e trabalhar no Porto, deambular nos Clérigos. Diariamente, sessões de The Newsroom e Melhor do Que Falecer. O Pedro Mexia e os ferrinhos na emissão especial do Governo Sombra (e a banda sonora e a Manuela Azevedo e as citações certeiras de Salazar bem seleccionadas por Ricardo Araujo Pereira). O Benfica, tão grande! Opá, o Benfica ❤️

A importância de se chamar Candidato

Numa altura em que as empresas recorrem cada vez mais às redes sociais para procurar candidatos a postos de trabalho (89%) e que 65% por cento é bem-sucedida, conseguindo contratações satisfatórias (Fonte: PR Comunicácion) convinha que as empresas de recrutamento e de executive search pensassem um bocadinho mais sobre o seu modus operandi.


Falo por experiência, por conhecimento e por não ter conseguido efectivar mudanças. 

O headhunter da velha guarda, armado em doutrina maquiavélica, que nunca leu, perspectiva o candidato como um meio para atingir um fim: facturar.  O candidato só serve enquanto servir os interesses do projecto. A satisfação do cliente é posta à frente de tudo e todos. Esta sobranceira linha de raciocínio,  a frio, tem alguma razão de ser. Quem paga as contas são os clientes. Como metodologia, é um erro crasso.
Num mercado concorrencial, um factor claramente diferenciador é a relação que se estabelece entre um consultor e os seus candidatos, pelo menos com aqueles que a…