quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Totalmente politicamente incorrecto, mas não me calarei!

Lembro-me de há uns anos ler numa revista daquelas à séria uma entrevista a um reputado ginecologista / obstectra brasileiro (daqueles mesmo famosos) que dizia que a Natureza era particularmente cruel com a fêmea e que o parto, na sua forma "natural" era uma violencia para a femea e para a cria. E dava exemplos de animais cujos processos de parto são mesmo algo tremendamente doloroso e torturador. Escusado será dizer que este médico advogava coisas como a epidural ou as cesarianas, para as mulheres.

Passado uns tempos, num late zapping vi numa das edições de resumo do Big Brother dos Famosos um qualquer animal que eles tinham a parir (vaca, porca?) e juro que os 15 segundos que vi me deram pesadelos durante dias, tamanha era a violencia dos berros da pobre criatura em parto há dias!

Tudo isto para dizer que não entendo, jamais entenderei, a decisão (louca?) de uma apresentadora de TV, já com idade para gravidez de risco, em ter parto natural em casa...

Ok, a medicina parou no tempo?

É algum ritual de comunhão com a natureza (não nos esqueçamos que a Floribella falava com as árvores [agora fala (???) com Djalózinho, mas isso sao outros temas] e que passam 40 anos desde Woodstock pode ser uma forma de celebração)?

É querer ser diferente (adoptar crianças do 3º Mundo já está fora de moda?)?

Ah, é uma opção pessoal... ok, já entendi...

O que aconteceu é que essa opção pessoal se traduziu em 40 horas de parto -QUARENTA!!! - (bem feita), acabando a mãe na MAC para uma cesariana. Dada a sensibilidade da situação, deve ter passado á frente de outras que já lá estavam. Mas, ei, viva a opçao pessoal.

Em "n" partes do mundo, há mulheres que davam tudo o que tivessem e viessem a ter para conseguir um parto com menos riscos e menos dores e mais segurança para quem vai nascer. Esta gaja quis ser diferente. Há coisas que nunca vou entender. Juro!


PS. mães e futuras mães que achem lindo o parto natural de 40 horas, esqueçam, pois qualquer comentario que possam fazer NÃO me fará mudar de ideias. É uma idiotice. Sobretudo pelo sacrifico que imputa ao bébé.

1 comentário:

Eduardo Mata disse...

Eu diria mais, é uma verdadeira idiotice, mas o curioso disto tudo é que essas mesmas mulheres que agora aderem ou têm pretensão a aderir ao parto natural, são as primeiras a tomar um medicamento para dores de dentes, ou menstruais, ou dores de cabeça, ou outra dor qualquer... Com os avanços da medicina, não faz qualquer sentido!

A água também é natural no entanto muitas pessoas morrem afogadas! :-)