terça-feira, 16 de novembro de 2010

Coisas de cama









Achava eu que precisava de um edredon (e precisamos; há uma incompatibilidade física entre edredons de corpo e meio e uma cama já jeitosa de dois adultos, cada um a dormir para sua ponta do leito e a disputar as resteas de edredon existente).... 

Não, o que eu preciso mesmo é de uma Hastens (faltam dois pontinhos em cima do "a" mas não o encontro neste teclado todo catita). 

Hastens é ... uma marca de camas, sueca, com século e meio de existência. Se eu tivesse problemas de sono diria que seria a resolução da situação pois uma pessoa pousa o corpo naquela maravilha totalmente natural e fecha-se para o mundo. Ora, como durmo em qualquer lado, com a mesma facilidade como o LeBron marca cestos, simplesmente admiro as Hastens com um olhar de prazer extremo e a luxuria de aproveitar ao máximo o acto sereno do sono.

Feitas de pinho, crina de cavalo (hipoalérgica),  linho, lã, algodão e revestidas num tecido 100% algodão,  conservam a fabricação artesanal ainda que permitam ajeitar a caminha ao gosto do freguês, desde o grau de firmeza, o colchão, e coisas assim. 

Estou neste devaneio porque este investimento (caro) já se pode fazer cá no burgo. E se há coisa que euzinha gosta é dormir. E estas camas, meus bons amigos, são do melhor que há.

Vou fazer uma sesta e sonhar com uma Hastens. 

Sem comentários: