Avançar para o conteúdo principal

Fall Winter '10-'11: Mimos

Depois de um dia de dedicação à mais recente gaja gira da sobrinhada emprestada (um anjo a Teresinha, não chateia ninguém!!!), estou de cama. 
Gripe. Talvez gástrica. Vá, partilhem das minhas dores que isto não é só pôr coisinhas giras no blog e dizer mal de mim própria.
Raios, nem sequer está frio (ai, meus ricos chapéus e cachecóis que aguardais por ser usados com vaidade!) e já ando com maleitas. Arre, mais as viroses cretinas.
Assim, em delirio, e a pedido de algumas fãs (eu depois pago a "gasosa", ok, Ana?) que querem novidades, aqui vai uma lista catita de itens que considero pertinentes para o malfadado do Outono-Inverno que por certo chegará.






Bimba y Lola. Azul escuro. MARAVILHOSO. Há uma versão ainda mais boné, em preto mesclado. Muito giro, também ... mas este é fanástico.


O gorro cinza de torcidos (ofertado à je!) é também um excelente amiguinho para este Inverno.






Não me atrevo porque me partia em 5 minutos a descer a rua (mais ou menos o mesmo tempo que vou demorar de casa ao trabalho, a partir da próxima, semana... Roam-se!).


Mas que são lindas, confortáveis (claro, já experimentei) e elegantes, lá isso, leitores adorados, não restam duvidas. São a "cara" da minha amiga Santinha, mas a gaja não me ouve. Ela tem atitude e destreza (tem dias) para as usar com porte adequado.




















A famosa vela com o aroma dos deuses. Se tiverem  duvidas sobre o carácter delicioso desta preciosidade,  ou simplesmente me acharem louca, vão a uma loja Bimba y Lola e sintam o aroma.


Encontrei-a na Fashion Clinique (que tem uma variedade óptima desta marca) mas penso que pode haver noutro local em Lisboa.


Para dias frios e chuvosos, passados em casa, enroladinha na manta, a ler. 




Hunter Wellington, desde 1856. 
Ok, são galochas. Ok, podem parecer algo foleiras. Mas experimentem. As AUBERGINE (aka Beringela) são de babar! 











   A Living Light vai recebê-las na próxima semana. Totalmente de bradar aos céus são o modelo desenhado pela marca Jimmy Choo. Serão um 'cadito mais caras, mas não deixa, de ser uberfashion











E lá podia faltar um verniz? Na continuação da apetência pelos tons nudes, estão a aparecer vernizes rosa velho ou rosa muito claro que não são a minha praia e não ficam bem neste tom de pele deslavado.
Uma excelente opção é este Black Plum da Dior. Estou in love.










 
  Faça chuva ou faça sol, frio ou calor,   nada como a Vitamin Water (adoro a Restore) para beber água, re-equilibrar e em grande estilo. Sempre.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Do arrebatamento

O vestido caiu facilmente. Estava apenas preso pelas alças nos ombros magros e deslizou com vontade declarada pelo corpo, até ao chão, enquanto ela acendia uma única luz de presença.

Beijou-lhe o ventre. Sentiu-o a tremer. Antecipação. Expectativa. Sentia-lhe o calor sem sequer tocar. Era como uma fonte inesgotável de desejo prestes a desmoronar-se com um toque. Os dedos enfiaram-se entre a pele e a linha das cuecas de renda fazendo-as sair com mestria. Estava liberta, da máscara de tecidos, não das demais camadas de protecção. Tal não a impedia de arfar baixinho e com satisfação sob um rosto que perdia vergonha a cada caída da cabeça para trás.


Nua, encostada à parede fria, costas arqueadas, totalmente exposta viu-a a desmontar-se com cuidado ao primeiro beijo que se colou à boca como dali não houvera saída. Era intenso, forte, penetrante o modo como ela o arrastava para si com a língua e uma perna em torno da cintura.


Todo aquele momento era primário, selvagem, sem travões ainda que, e…

Das razões

Quero-te pela desarrumação incompreensível que somos. Quero-te pela forma como me procuras à noite na cama, ainda a dormir, de modo instintivo, apenas para te recostares do mundo e amaciares no meu calor. Quero-te (tanto) quando sais do mar, feliz e salgado, qual criança livre agarrado à prancha como se fosse o teu bem mais precioso, a tua melhor amiga, a porta para o teu refúgio. Quero-te pelos beijos inesperados, lentos, que invadem qual descarga eléctrica, e afirmam sem hesitações desejo e amor. Quero-te pela forma como te afundas num livro e tudo à volta entra em pause-still e, mesmo assim, de repente tocas-me no joelho, no cabelo, dás-me a mão. Quero-te porque sei que acreditas em mim e não me questionas, crês que posso mudar o mundo. Quero-te pela tesão, confiança, cumplicidade e pelas saudades que temos, ainda, sempre, um do outro. Quero-te por te rires quando começo a cantar músicas que gosto e ouço a tocar, esteja onde esteja. Quero-te por dançarmos na rua se preciso entre ga…

Dos maldiitos

via boudoir photography

Agora acordo com mensagens que iluminam o telemóvel e em que dás conta de como pensas em mim antes de dormir. E que o queres partilhar comigo porque agora sentes saudades minhas. Agora recebo telefonemas sem hora nem expectativa e a voz é meiga e quente. Não ouço nada do que dizes, as palavras apenas são ditas mas há muito que já não têm peso ou impacto.
Antes foi a indecisão. O jogo dos que não se comprometem, que querem atalhos facilitados para um espaço confortável de repouso, salvação emocional momentânea, ilusão de pertença. Egoísta forma de ser que suga o querer dos outros para se sustentar, para sentir uma rede rápida de carinho e abraço mas que reclama para si a indisponibilidade de reciprocidade. Para quê? Se vos é dado grátis um sentimento para que serve o esforço de lutar por ele, qual o propósito de envolvimento, de estar, dar a mão, partilhar silêncios e perder a possibilidade de ter mais e mais, melhor, diferente, sempre mais, outras.
Era assim, ante…