Avançar para o conteúdo principal

O 1º dia na nova escola



O regresso às aulas era sempre um xitex. Cadernos novos, o estojo do Sempre em Festa a fazer conjunto com o dossier, com o porta documentos e o porta moedas. A mochila Chevignon imaculada à espera de ficar suja para parecer usada e cool. A lapiseira com minas 0,5mm, as canetas de várias cores. Os livros tal como saíram da rotativa, ainda a cheirar a papel não manuseado. O cabelo bem arranjado. As roupas novas. Tudo para impressionar. Ou para criar um buffer de conforto.

A bem da verdade, sempre gostei de voltar às aulas. Declaração que me vai valer incómios como "tótó" ou "nerd" mas é um facto. Gostava de conhecer novos colegas, dar vida aos cadernos e ajavardar os livros com florzinhas desenhadas com a cabeça na lua.

Hoje foi como um 1º dia de aulas. Escola nova, mesa limpa, computador a brilhar. Novas caras que me olham com curiosidade perante a minha vontade de me enfiar num buraco e ficar a observar. Rostos e mais rostos aos quais está a ser difícil, no imediato, associar o nome. Mais fácil memorizar onde estão sentados.

Não é pêra doce ser-se o new kid of the block. Por muito que nos digam onde nos sentamos, como devemos usar a farda ou onde estão as casas de banho, fazemos tudo a medo. Que nos topem. Sintam o nosso constrangimento. Ou a face corada. Sorrio, simpaticamente. Está-me nos genes. Não consigo não ser amigável. Será que acham irritante? Se calhar nem dão por mim.

Com 30+4 anos, quase tinha perdido a esperança que esta sensação de querer chegar, com muita vontade, a um sitio desconhecido e enfrentar o horizonte.

Hoje fui um bom primeiro dia. 

De aprendizagem. Sobre os outros. E de mim.

Comentários

Bruno P disse…
Way to go! Boa sorte.
Luisinho disse…
Para ti será como um passeio no parque!
Tal co o tu, também gostava sempre de voltar à escola...e nunca fui nerd! :)

Beijinhos e felicidades

Mensagens populares deste blogue

Do arrebatamento

O vestido caiu facilmente. Estava apenas preso pelas alças nos ombros magros e deslizou com vontade declarada pelo corpo, até ao chão, enquanto ela acendia uma única luz de presença.

Beijou-lhe o ventre. Sentiu-o a tremer. Antecipação. Expectativa. Sentia-lhe o calor sem sequer tocar. Era como uma fonte inesgotável de desejo prestes a desmoronar-se com um toque. Os dedos enfiaram-se entre a pele e a linha das cuecas de renda fazendo-as sair com mestria. Estava liberta, da máscara de tecidos, não das demais camadas de protecção. Tal não a impedia de arfar baixinho e com satisfação sob um rosto que perdia vergonha a cada caída da cabeça para trás.


Nua, encostada à parede fria, costas arqueadas, totalmente exposta viu-a a desmontar-se com cuidado ao primeiro beijo que se colou à boca como dali não houvera saída. Era intenso, forte, penetrante o modo como ela o arrastava para si com a língua e uma perna em torno da cintura.


Todo aquele momento era primário, selvagem, sem travões ainda que, e…

I shine

Kiss me before you break my heart. There is still room to be damaged for every breath I take on myself and for myself. I regain confidence on me on every touch of you, even those that will be lost. 
The shivers running down on my spine awaken me and allow me to make you feel stronger, bolder, in love with life. 
I expand my senses while you will torn my world apart. We are under the same sky but I am meant to be a trail of light rather than a guiding star. 
I will burn your soul and you will break my heart. Yet I shine. So, kiss me and let's pretend.

Da alegria

Gosto desses olhos que se iluminam e que pausam em mim como se nada mais existisse naquele longo momento. Esse olhar decidido, seguro, revelador de um modo de estar ciente do que se quer e descomplicado.
Fazes-me rir. Como se o mundo fosse fácil. Como se salvar-me das trevas não fosse uma missão mas sim manter-me saciada, livre, às gargalhadas, serena e em silencio, a ler com as pernas esticadas sobre ti.

Gosto das madrugadas de surf, mesmo ao frio. Dos beijos salgados e daquele teu cheiro misturado com água gelada. O cheiro que ainda hoje me faz ficar apreensiva, receosa, quando acordo a meio da noite e te ouço a respirar devagarinho e aquele cheiro está encostado a mim. E como aquele cheiro me apareceu e inundou de alegria.