Avançar para o conteúdo principal

A importância de se chamar Candidato



Numa altura em que as empresas recorrem cada vez mais às redes sociais para procurar candidatos a postos de trabalho (89%) e que 65% por cento é bem-sucedida, conseguindo contratações satisfatórias (Fonte: PR Comunicácion) convinha que as empresas de recrutamento e de executive search pensassem um bocadinho mais sobre o seu modus operandi.


Falo por experiência, por conhecimento e por não ter conseguido efectivar mudanças. 

O headhunter da velha guarda, armado em doutrina maquiavélica, que nunca leu, perspectiva o candidato como um meio para atingir um fim: facturar.  O candidato só serve enquanto servir os interesses do projecto. A satisfação do cliente é posta à frente de tudo e todos. Esta sobranceira linha de raciocínio,  a frio, tem alguma razão de ser. Quem paga as contas são os clientes. Como metodologia, é um erro crasso.

Num mercado concorrencial, um factor claramente diferenciador é a relação que se estabelece entre um consultor e os seus candidatos, pelo menos com aqueles que assumem uma postura construtora de entreajuda.

Cada candidato merece ter uma abordagem inicial cuidada e esclarecida, ser recebido para uma entrevista bem preparada e obter feedback em timmings  adequados. Mesmo que haja pouca informação para partilhar, há que gerir expectativas das pessoas e ajustá-las ao decurso do processo, sendo o mais rigoroso e honesto possível em todas as fases.

Envolver o candidato significa transmitir-lhe confiança de que está perante profissionais que asseguram todas as variáveis e ganhar o seu respeito  pelo trabalho que se está a desenvolver. Grosso modo, a própria forma como quem recruta é olhado pode (deve!) evoluir do objectivo meramente interesseiro que os candidatos muitas vezes lhes votam, para a consciencialização de que estão perante experts que dominam o campo de jogo e têm capacidade de fazer golo, ou seja, não somente batem palmas na bancada.

Estabelecer este relacionamento com o candidato é basilar a vários níveis.

Desde logo, a imagem positiva que se vai construindo dá segurança adicional aos candidatos para considerarem uma nova proposta. Mudar é sempre um risco, é um facto, mas nestas fases de crise requer coragem acrescida. Ora, se o candidato souber com quem lida do outro lado, a sua resistência ao risco pode ser minorada.

Por outro lado, o candidato mais facilmente estará disponível para ir a uma entrevista e equacionar os projectos em carteira por saber de antemão que não o farão perder tempo com algo totalmente desenquadrado e, pelo contrário, vão ser capazes de explanar de modo objectivo o que está em cima da mesa.

Por fim, um candidato “fidelizado” ajuda o consultor quer em termos de networking quer participando no processo de tomada de referências de candidatos finalistas e, não esquecendo, pode vir a ser, em determinado momento, um decisor. 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Do arrebatamento

O vestido caiu facilmente. Estava apenas preso pelas alças nos ombros magros e deslizou com vontade declarada pelo corpo, até ao chão, enquanto ela acendia uma única luz de presença.

Beijou-lhe o ventre. Sentiu-o a tremer. Antecipação. Expectativa. Sentia-lhe o calor sem sequer tocar. Era como uma fonte inesgotável de desejo prestes a desmoronar-se com um toque. Os dedos enfiaram-se entre a pele e a linha das cuecas de renda fazendo-as sair com mestria. Estava liberta, da máscara de tecidos, não das demais camadas de protecção. Tal não a impedia de arfar baixinho e com satisfação sob um rosto que perdia vergonha a cada caída da cabeça para trás.


Nua, encostada à parede fria, costas arqueadas, totalmente exposta viu-a a desmontar-se com cuidado ao primeiro beijo que se colou à boca como dali não houvera saída. Era intenso, forte, penetrante o modo como ela o arrastava para si com a língua e uma perna em torno da cintura.


Todo aquele momento era primário, selvagem, sem travões ainda que, e…

I shine

Kiss me before you break my heart. There is still room to be damaged for every breath I take on myself and for myself. I regain confidence on me on every touch of you, even those that will be lost. 
The shivers running down on my spine awaken me and allow me to make you feel stronger, bolder, in love with life. 
I expand my senses while you will torn my world apart. We are under the same sky but I am meant to be a trail of light rather than a guiding star. 
I will burn your soul and you will break my heart. Yet I shine. So, kiss me and let's pretend.

Da alegria

Gosto desses olhos que se iluminam e que pausam em mim como se nada mais existisse naquele longo momento. Esse olhar decidido, seguro, revelador de um modo de estar ciente do que se quer e descomplicado.
Fazes-me rir. Como se o mundo fosse fácil. Como se salvar-me das trevas não fosse uma missão mas sim manter-me saciada, livre, às gargalhadas, serena e em silencio, a ler com as pernas esticadas sobre ti.

Gosto das madrugadas de surf, mesmo ao frio. Dos beijos salgados e daquele teu cheiro misturado com água gelada. O cheiro que ainda hoje me faz ficar apreensiva, receosa, quando acordo a meio da noite e te ouço a respirar devagarinho e aquele cheiro está encostado a mim. E como aquele cheiro me apareceu e inundou de alegria.