domingo, 16 de junho de 2013

Das reflexões



Confirmo.

A vida é um grande "se", um que diariamente superamos com as doses possíveis de boa disposição, perseverança e "vamos ver". E no dia seguinte, repete-se tudo outra vez. 

Por vezes, com mais forca, com mais energia, com mais espirito positivo. Outras, totalmente derrotados. Faz parte. Nem sempre poderemos estar com o modo optimista totalmente activado porque simplesmente as circunstancias não nos permitem ser assim tão fantasistas, tão irresponsáveis. 

Também não faz sentido ver sempre tudo negro, por muito que a confiança seja abalada, por muitos fins que ocorram ou por muito que deixemos de acreditar. Contra mim, falo. 

Há momentos bons. Pausas kit-kat. Passamos a conviver com naturalidade com o "se", não sofrendo com essa variável, e acomodando o facto de que as experiências menos boas que vivemos não nos podem roubar a alegria. Ainda que passemos a estar mais sós, com menos amigos e com menos capacidade para voltar a confiar. 

2 comentários:

Cailin disse...

por isso é que tenho gostado de crescer, a sensatez que ganhamos faz-nos ganhar em tudo. concordo contigo, estamos é cada vez mais sós, com os melhores mas mais sós.

Mónica disse...

até a solidão é uma aprendizagem. e, ás vezes, um descanso :)