sábado, 29 de junho de 2013

O que é ser eu

Imaginem que saem à rua de vestido/roupa branca. E já quando estão fora de casa, e não têm hipótese de voltar atrás, ou de ir a correr uma loja em SOS, se apercebem que têm uma mega nódoa estranhissima, enorme e, por tal, altamente visível. 

Além disso, o vestido/roupa tem um grau de transparência acima do que o bom senso dita. E, pior, algures, durante o dia, lembram-se que não lavaram o cabelo por esquecimento há 2 dias. Pode não ser óbvio mas vocês sentem que o cabelo deve estar um nojo. 

Imaginem o dia todo assim. 

Ninguém vos diz nada mas há um desconforto pessoal horrível e uma vontade incrível de que um buraco se abra no chão e vos engula sempre que alguém se cruza no vosso caminho ou vos dirige a palavra. A auto consciência da vergonha. A sensação de "ignorem-me, por favor" e de querer voltar para casa rapidamente para acabar com o pesadelo. 

Conseguem vislumbrar? 

Bom, se sim, bem-vindos aos meus dias. 

Sem comentários: