sábado, 26 de março de 2011

a importância da cor do cabelo

O moço e a minha melhor amiga questionam-me, muito, sobre o porquê da opção Brownie.

De loura clara natural em criança, a louro escuro na adolescência a louro aditivado, em várias modalidades e tonalidades, em adulta, não significou que a vida me tenha corrido propriamente bem.

Eu gostava de ser loura. A minha derme é de um tom tão estupidamente claro que pareço doente. Tenho olhos azuis, mas não são muito coerentes. O tom de louro encaixa e não soa a falso.

Mas encaixarei eu no louro? 

Desde que tive que, por razões de melena, e temporariamente, optar por um tom mais escuro, comecei a perceber que talvez eu não esteja à altura do louro Anniston ou Budchen. Uma mulher ao ser loura deve ser confiante, de passo determinado, corpo esguio e com um sentido de estilo todo apurado: sabe o que usar e o que usa, cai-lhe bem. Uma loura sabe caminhar de cabelito livre, cheio de alegria e orgulho.

Ora, pois, temos que me vou ficar pelo discreto tom achocolatado, que passe despercebido, por uns tempos. É o mais próximo do manto de invisibilidade do Harry Potter que consigo.

Sem comentários: