Avançar para o conteúdo principal

Filosofia de Blogues II

Não sou expert em design, moda ou aconselhamento personalizado sobre o que vestir.

Tenho o meu próprio gosto, acompanho tendências e devoro revistas em busca de novos cremes, vernizes, carteiras. Não tenho nem budget nem corpo para grandes produções mas posso admirar e partilhar. E gosto mesmo de roupa. Adoro trapos.

O meu "cantinho blogueiro" não é patrocinado. Porque não quero. Tudo o que recomendo, e eu possua, paguei (ou o cartão de crédito pagou) ou são coisas que experimentei e gostei ou fui bem atendida ou são coisas de amigos. Apesar da sua modesta visibilidade, mas com visitantes muito estimados, já podia ter cá posto uns anúncios. Recuso-me. Nada contra, mas não é esse o meu objectivo. 

O meu "canto" é multitemático e mantem-se fiel àquilo que gosto, penso e digo, a bem ou a mal, sm grandes filtros. Goste quem goste, não comprometo os meus disparates para não ferir a imagem de marcas que cá estivessem publicitadas. 

Mais uma vez, nada contra. É só uma opção (PS: Prada, Gucci, Vuitton, Chanel, Marchesa, Dior, Uterque, Bimba y Lola, pra' voces, mi casa, su casa).

Divirto-me à brava a vaguear por blogs de pseudo-fashionistas, nos quais há ANÚNCIOS (!!!), e ver as coisas giras que aparecem.

Hoje deliciei-me com um blog em que a autora, super doutorada em conselhos de moda, aparece a mostrar os seus looks, com (e vamos por partes...):

- unhas dos pés, amarelo L'Oreal;
- unhas das mãos, rosa (laranja?);
- pulseiras Virgencitas (não há cu que aguente!!!) misturadas com Pandora (no fuckin' comments);
- relógio Eletta com brilhantes;
- top de folhos rematado com o pendente do sapato Blanhick da Tous (pessoalmente, acho possidónio mas sou só eu!).


Há outro elemento comum e fascinante a esta malta... A obsessão pela H&M (ok, tem coisas giras e bem em conta mas a qualidade das peças, na mão, deixa muitas vezes a desejar) e pela Blanco. Neste ultimo caso, acho mesmo caro para o que é, sobretudo caro para o estilo vulgarucho. 

Uma última consideração: quando um blog publicita o ultimo gel de banho de pêssego do Lidl, 5 ou 6 também o publicitam. E é sempre a ultima coca-cola do deserto.

Eu acho mesmo piada... Relógios Eletta Vilamoura... P'loamordasanta.



Comentários

Anónimo disse…
kakakakakaka. I clap my hands. Mt, mt mt bommmmm!

beijinhos, M.P do norte.
Dulce disse…
Bem, a julgar pela tua descrição... que combinação medonha!!! :$

Sigo alguns blogues do género, sobretudo para estar a par de novidades (promoções, lançamentos, etc) não tanto de tendências (essas são do domínio da Bíblia, leia-se, Vogue). E a verdade é que quando me cruzo com fotos do que vesti ontem, hoje e no baile da terrinha... irrita-me um bocadinho... haja pachorra para tanto narcisismo!!

Mensagens populares deste blogue

gaja à beira da loucura

Isto pode paracer a demência absoluta mas já estou por tudo. A Alexandra Solnado (isso mesmo, este post vai por esse caminho...) dizia numa entrevista, há umas semanas, ao promover o seu mais recente "livro" que a maioria das pessoas que lhe aparecem para consultas, são pessoas doentes - jura?!
Agora, a sério, as pessoas padecem de doenças fisicas e, no seu desespero, que nem é discutivel porque cada um saberá o que se sente quando se chega a esse patamar, procuram ajuda ou conforto no projecto da Alexandra Solnado (é assim que se chama). Posto isto, explicava a Alexandra Solnado que as doenças são, não obstante, reflexos de outros problemas mais antigos ou e a outros níveis. Não me recordo dos exemplos que ela dava mas era algo como pessoas que tinham tido muitos desgostos e uma vida marcada pela tristeza, desenvolviam uma doença grave em especifico, localizada numa área do corpo em particular. 
Ora, e dando o beneficio da duvida a esta teoria (pois que temos a perder?), gosta…

A importância de se chamar Candidato

Numa altura em que as empresas recorrem cada vez mais às redes sociais para procurar candidatos a postos de trabalho (89%) e que 65% por cento é bem-sucedida, conseguindo contratações satisfatórias (Fonte: PR Comunicácion) convinha que as empresas de recrutamento e de executive search pensassem um bocadinho mais sobre o seu modus operandi.


Falo por experiência, por conhecimento e por não ter conseguido efectivar mudanças. 

O headhunter da velha guarda, armado em doutrina maquiavélica, que nunca leu, perspectiva o candidato como um meio para atingir um fim: facturar.  O candidato só serve enquanto servir os interesses do projecto. A satisfação do cliente é posta à frente de tudo e todos. Esta sobranceira linha de raciocínio,  a frio, tem alguma razão de ser. Quem paga as contas são os clientes. Como metodologia, é um erro crasso.
Num mercado concorrencial, um factor claramente diferenciador é a relação que se estabelece entre um consultor e os seus candidatos, pelo menos com aqueles que a…

Inesperadamente, a semana passada

Uns dias bons.
O  25 de Abril. Comer caracóis, os primeiros deste ano. Passear e trabalhar no Porto, deambular nos Clérigos. Diariamente, sessões de The Newsroom e Melhor do Que Falecer. O Pedro Mexia e os ferrinhos na emissão especial do Governo Sombra (e a banda sonora e a Manuela Azevedo e as citações certeiras de Salazar bem seleccionadas por Ricardo Araujo Pereira). O Benfica, tão grande! Opá, o Benfica ❤️